NO ESPAÇO EM BRANCO, ABAIXO, COLOQUE ASSUNTOS DE SEU INTERESSE E PESQUISE.

Carregando...

VISITÔMETRO DO DAX

Prova SENAI CGE 2024 - Ensino Articulado SESI SENAI (Técnico) 12/09/2010

A partir de hoje, 15 de outubro de 2010, a prova CGE 2024 está sendo comentada pelos especialistas da "Desafio Alfa" - D.A. RESOLVE.


Se você tiver interesse pelo comentário de alguma questão não resolvida desta prova, clique no link abaixo:
REDE DE ESTUDO COLETIVO


LÍNGUA PORTUGUESA


O texto abaixo se refere às questões 1 e 2.


Mais um exame


Médicos alemães descobriram que uma substância, detectável por intermédio de exame de sangue, pode indicar a probabilidade de uma pessoa vir a sofrer infarto ou derrame. Trata-se da proteína PIGF. Em excesso, ela sinaliza uma inflamação nos vasos sangüíneos, desencadeada pelo acúmulo de gordura nas paredes das artérias. Os pacientes com altas taxas de PIGF no sangue tiveram até 15% mais infartos nos seis meses posteriores à medição da proteína. Outra proteína que indica inflamação nas artérias é a C-reativa ultra-sensível. Sua medição é uma das principais ferramentas usadas atualmente para detectar o risco de problemas cardíacos. Conforme o estudo alemão, a análise da PIGF pode ser mais precisa do que a da C-reativa. O trabalho analisou as amostras de sangue de cerca de 1000 pacientes vítimas de angina e foi publicado na revista científica Journal of the American Association, da Associação Médica Americana.
Fonte: Revista Veja, São Paulo, ano 37, n. 6, p. 86, 11 fev. 2004.


1. Os pacientes vítimas de angina são aqueles que


a. descobriram a proteína PIGF.
b. morreram de infarto ou derrame.
c. apresentaram problemas cardíacos.
d. analisaram as amostras de sangue.
e. publicaram a revista americana.

D.A RESOLVE


O texto trata da proteína PIGF. Informou-se que, existente em excesso no corpo humano, ela provoca uma inflamação nos vasos sanguíneos, desencadeada pelo acúmulo de gordura nas paredes das artérias. Os pacientes com altas taxas de PIGF no sangue tiveram até 15% mais infartos, esta constatação foi feita em exames solicitados por médicos americanos.  Para haver confirmação do que foi apresentado, acima, realizou-se um trabalho com amostras de sangue de cerca de 1.000 pacientes vítimas de angina (grave problema cardíaco) e foi publicado na revista científica Journal of the American Association, da Associação Médica Americana.


Alternativa C


2. Na frase “Sua medição é uma das principais ferramentas...” o pronome destacado pode ser classificado como


a. possessivo.       b. pessoal.        c. oblíquo.         d. demonstrativo.          e. relativo.


D.A. RESOLVE


O trecho citado foi retirado do texto, acima, em que consta "Outra proteína que indica inflamação nas artérias é a C-reativa ultra-sensível. Sua medição é uma das principais ferramentas usadas atualmente para detectar o risco de problemas cardíacos.".


A palavra SUA é um pronome porque está substituindo proteina C-reativa ultrassensível, percebe-se, rapidamente, sua medição = a medição da proteína C-reativa ultrassensível.  Trata-se da medição dela (desta proteína),  é sobre a própria proteína de que se está falando, daí, então, dar a ideia de posse.


Alternativa A.


3. No trecho: “(...) Antônio se resigna: não teria paciência para abrir um bar. (...)”, é correto afirmar que o significado da palavra destacada é
Fonte: Adaptado de KUCHLER, A.; OLIVEIRA, R. Revista da Folha. 767 ed., ano 16, p. 21, 13, maio 2007.

a. revolta.      b. contenta.     c. conforma.      d. empolga.      e. entristece.


D.A. RESOLVE


A palavra destacada - resigna - informa que Antonio aceita, naturalmente, a situação de não pretender abrir um bar, pela falta de paciência. O fato de aceitar, sem apresentar alguma resistência, sem questionar, absolutamente, nada, denota que ele se conforma com esta situação: de não ter paciência para abrir e "tocar" um bar. Esta questão procurou apresentar o emprego de sinônimos.


Alternativa C.


4Em “A rivalidade entre EUA e União Soviética fez com que a humanidade chegasse à Lua e mandasse sondas para todos os cantos do sistema solar.”, ocorre o mesmo caso de uso de crase que em:


a. Todas as tardes íamos à farmácia.
b. Os portões serão fechados às 16h.
c. Este remédio aumenta a resistência à dor.
d. Àquela hora, todos já haviam dormido.
e. A repartição só atende à tarde.


D.A. RESOLVE


Crase é a fusão de no mínimo duas palavras (preposição A + A( S ) artigo) e, para representar esta fusão, coloca-se o acento grave. São vários os empregos. Neste caso, a intenção foi comprovar o emprego da crase com verbos que indicam movimento, deslocamento, destino. Então, o único emprego associado ao período citado refere-se à


Alternativa A.


O texto abaixo se refere à questão 5.


O que é fundamentalismo?


É o termo usado para se referir à crença na interpretação literal dos livros sagrados. 
Fundamentalistas são encontrados entre religiosos diversos e pregam que os dogmas  de seus livros sagrados sejam seguidos à risca. O termo surgiu no começo do século 20 nos Estados Unidos, quando protestantes determinaram que a fé cristã exigia acreditar em tudo que está escrito na Bíblia. Mas o fundamentalismo só começou a preocupar o mundo em 1979, quando a Revolução Islâmica transformou o Irã num Estado teocrático e obrigou o país a um retrocesso aos olhos do Ocidente: mulheres foram obrigadas a cobrir o rosto e festas, proibidas. “Para quem aprecia as conquistas da  modernidade, não é fácil entender a angústia que elas causam nos fundamentalistas religiosos”, escreveu Karen Armstrong no livro Em Nome de Deus: o Fundamentalismo no Judaísmo, no Cristianismo e no Islamismo.
Os ataques de 11 de setembro, organizados pelo grupo Al Qaeda, reacenderam a preocupação contra fundamentalistas e criaram 2 mitos freqüentes: o de que todo fundamentalista é muçulmano e terrorista. “Poucos grupos apelam para a violência”, diz o antropólogo Richard Antoun, autor de Understanding Fundamentalism: Christian, Islamic and Jewish Movements (“Entendendo o Fundamentalismo: Movimentos Cristãos, Islâmicos e Judaicos”, inédito no Brasil).
Fonte: KÜCHLER, A. Revista Superinteressante, 215. ed., p. 24, jul. 2005.

5No trecho: “Os ataques de 11 de setembro, organizados pelo grupo Al Qaeda, reacenderam a preocupação contra fundamentalistas e criaram 2 mitos freqüentes: o de que todo fundamentalista é muçulmano e terrorista. (...)” é correto afirmar que o verbo reacender concorda com

a. grupo Al Qaeda.
b. fundamentalistas.
c. muçulmano e terrorista.
d. 2 mitos freqüentes.
e. os ataques de 11 de setembro.

D.A. RESOLVE


Ao se falar sobre a concordância feita pelo verbo, tem-se o assunto concordância verbal, em que o verbo concorda com o sujeito da oração.

Para se localizar o sujeito de uma oração, fazem-se as perguntas quem? (para se ter pessoa e demais seres vivos por sujeito) e o que? (quando o sujeito for algum ser inanimado). Tais perguntas devem ser feitas ao verbo e colocadas, antes, dele.

No caso desta questão, faz-se a pergunta: o que reacendeu a preocupação (da população mundial) contra fundamentalistas? Resposta: Os ataques de 11 de setembro.


Alternativa E.


O texto abaixo se refere à questão 6.


A formiga boa


Houve uma jovem cigarra que tinha o costume de chiar ao pé dum formigueiro. Só parava quando cansadinha; e seu divertimento então era observar as formigas na eterna faina de abastecer as tulhas. Mas o bom tempo afinal passou e vieram as chuvas. Os animais todos, arrepiados, passavam o dia cochilando nas tocas.
A pobre cigarra, sem abrigo em seu galhinho e metida em grandes apuros, deliberou socorrer-se de alguém.
Manquitolando, com uma asa a arrastar, lá se dirigiu para o formigueiro. Bateu – tique, tique, tique... Aparece uma formiga friorenta, embrulhada num xalinho de paina.
_ Que quer? – perguntou, examinando a triste mendiga suja de lama e a tossir.
_ Venho em busca de agasalho. O mau tempo não cessa e eu...
A formiga olhou-a de alto a baixo.
_ E que fez durante o bom tempo, que não construiu sua casa?
A pobre cigarra, toda tremendo, respondeu depois de um acesso de tosse:
_ Eu cantava, bem sabe...
_ Ah!... exclamou a formiga recordando-se. – Era você então quem cantava nessa árvore enquanto nós labutávamos para encher as tulhas?
_ Isso mesmo, era eu...
_ Pois entre, amiguinha! Nunca poderemos esquecer as boas horas que sua cantoria nos proporcionou. Aquele chiado nos distraía e aliviava o trabalho. Dizíamos sempre: que felicidade ter como vizinha tão gentil cantora! Entre, amiga, que aqui terá cama e mesa durante todo o mau tempo. A cigarra entrou, sarou da tosse e voltou a ser a alegre cantora dos dias de sol.
Fonte: LOBATO, M. Fábulas. São Paulo: Brasiliense, 1994, p. 7-8.

6Os animais todos, arrepiados, passavam o dia cochilando nas tocas.” As palavras destacadas na passagem acima são classificadas, respectivamente, como:

a. preposição; substantivo e adjetivo.
b. artigo; adjetivo e verbo.
c. preposição; adjetivo e verbo.
d. artigo; substantivo e adjetivo.
e. conjunção; adjetivo e substantivo.

D.A. RESOLVE

A palavra OS identifica, define e classifica todos animais como conhecidos; não se trata de animais desconhecidos, nem indefinidos, nem quaisquer, daí, ser classificada como artigo definido. Além disso, informa que animais está no masculino e no plural.
A palavra ARREPIADOS mostra o estado em que os animais estavam, em que se encontravam naquele momento. Toda palavra que apresenta estado ou qualidade de um ser, classifica-se como adjetivo.
COCHILANDO mostra a ação dos animais nas tocas pelas condições do tempo e da estação do ano: o inverno.
Toda palavra que apresenta a ação praticada pelos seres, classifica-se como verboA terminação NDO do verbo cochilar, mostra que se encontra no gerúndio, ação que acontece, permanece e não termina, percebe-se que está em desenvolvimento.

Alternativa B.

7“Há quem jure que já caminhou por um pasto à noite e derrubou vacas sonolentas com um empurrão( ) Para cientistas da Universidade da Colúmbia Britânica, Canadá( ) isso deve ser um mito( ) a força necessária para derrubar uma vaca teórica – que não se move nem amortece o empurrão – é equivalente a levantar 291 quilos. Vacas de verdade são ainda mais difíceis.”
Fonte: Adaptado de Kenski, R. Vacas não caem. Revista Superinteressante, 222. ed., p. 18, jan. 2006.

Nos espaços entre parênteses, encontrados no texto, estão faltando, respectivamente, os seguintes sinais de pontuação:


a. ponto-e-vírgula; vírgula e ponto; vírgula.
b. ponto final; ponto-e-vírgula; vírgula.
c. reticências; vírgula; ponto final.
d. ponto final; vírgula; dois pontos.
e. ponto final; ponto-e-vírgula; reticências.


D.A. RESOLVE


O primeiro conjunto de parênteses apresenta uma ideia, uma informação com sentido completo, encerrado. Além disso, percebe-se que nova ideia é apresentada e iniciada por palavra com letra maiúscula. Coloca-se, então, ponto final.


O segundo mostra que a Universidade da Colúmbia Britânica encontra-se em um lugar, em um país - Canadá  - este lugar deve ser separado por vírgula por ser classificado como advérbio. Por facilidade de pronúncia, de manter clareza na comunicação, de modo geral, os advérbios vêm separados por vírgulas, onde se encontrarem nas orações e / ou períodos.


Para toda explicação e para melhor esclarecer a que mito refere-se o trecho, pois vai-se explicar que mito é este, colocam-se dois pontos.


Alternativa D.


O texto abaixo se refere à questão 8.


2 + 2 = 4... nem sempre!


A Matemática está se transformando em uma ciência inexata. Pense bem da próxima vez que quiser resolver algo com precisão matemática. Os último avanços da mais exata das ciências estão tão cercados de polêmica que, em grande parte das vezes, ninguém mais sabe dizer que problemas estão resolvidos e quais conclusões estão inequivocamente certas. “Hoje em dia, os matemáticos estão levando muito em conta o papel das decisões humanas sobre que provas são válidas”, diz o matemático Keith Devlin, da Universidade Stanford, EUA. A primeira razão para a dúvida é que quem dá a palavra final na matemática é a “pecinha” que fica atrás dos livros: o homem. Cabe à comunidade de cientistas decidir quais conclusões são erradas e quais provas são legítimas. E esses matemáticos têm enfrentado grandes problemas. Parte da culpa vem do melhor amigo do matemático na atualidade: o computador. O problema começou em 1976, quando 2 cientistas disseram ter provado o teorema das 4 cores, que diz que qualquer mapa pode ser pintado com apenas 4 cores sem usar a mesma tinta para 2 países fronteiriços. Eles tinham chegado à prova programando um computador para testar todas as possibilidades, e o resultado era um tijolo de mais de 500 páginas impossível de ser checado à mão. Desde então, técnicas parecidas “provaram” outros teoremas, todas gerando a mesma polêmica: é válida uma demonstração que não pode ser verificada por ninguém? Para muitos, a resposta é simplesmente “não”. Por outro lado, existem dezenas de equações ainda não comprovadas que são usadas como se fossem exatas. Pegue, por exemplo, a questão de se um número é primo – ou seja, se ele pode ou não ser dividido por outro número inteiro além dele mesmo e de 1. Já existem métodos que resolvem o problema com 99,99% de certeza, não importa o tamanho do número. Mas não existe uma conclusão exata – e, para os matemáticos, essa incerteza traz o mesmo desconforto de dizer para um pai que a criança tem 99,99% de chances de ser filha dele. Mesmo assim, a técnica é amplamente utilizada, por exemplo, em pesquisas de sistemas de segurança eletrônicos (como o do seu e-mail).
“Provas são apenas uma das ferramentas que os matemáticos usam”, diz o americano Philip Davis, da Universidade Brown, em Rhode Island, EUA. Ele é um dos muitos cientistas que defendem que o seu campo hoje precisa aprender a lidar com a falta de certezas. Ou, como diz a jornalista, física e matemática americana Margaret Wertheim: “Como muitos outros campos, a matemática está se tornando menos a busca por verdades últimas do que um projeto movido por negociações entre os participantes”.
Fonte: REZENDE, R. Revista Superinteressante, 215 ed., p. 15, jul. 2005.

8É correto afirmar que o tema central do texto é a

a. dúvida de vários cientistas sobre a exatidão das ciências matemáticas.
b. ineficiência dos computadores em provar teoremas matemáticos.
c. impossibilidade de checagem das comprovações dos teoremas.
d. importância de não levar em conta as decisões humanas sobre as provas.
e. possibilidade de aprender a lidar com a falta de certezas na Matemática.

D.A. RESOLVE

Além de apresentar a possível falta de exatidão e de certezas  matemáticas, o texto procura evidenciar que, por diversos estudos, matemáticos e cientistas têm concluído que vale muito mais levar em conta o papel das decisões humanas sobre a validade das provas e comprovações matemáticas e enfatiza que tais opiniões nele são destacadas por diversas citações.

Alternativa A.

Os quadrinhos abaixo se referem à questão 9.


Fonte: www.niquel.com.br.

9. A expressão usada no quadrinho nº 2 é corretamente classificada como

a. onomatopeia.    b. aliteração.     c. interjeição.      d. substantivo.      e. rima.

D.A. RESOLVE

Os sons emitidos pelo rato, no quadrinho dois, representando a manifestação de alguma ave piando, é facilmente entendida e não tem necessidade de expressar-se por palavras e, como o rato mesmo diz, consegue tapear velhinhas bem míopes e beneficiar-se de algum alimento.
Quando o emissor usa sons em vez de palavras e o receptor da mensagem consegue entender, tem-se a figura de linguagem chamada onomatopeia.

Alternativa A.

10. Assinale a alternativa em que todas as palavras são paroxítonas.

a. enérgico - fantástico - incrédulo
b. paralelo - efervescente - moderno
c. inconstante - discrição - deliberado
d. ingrediente - manipulado - portal
e. lugar - limpidez - concentração

D.A. RESOLVE

São paroxítonas as palavras com duas ou mais sílabas em que o acento tônico (=sílaba mais forte) for a penúltima. O único conjunto com palavras paroxítonas é formado por pa-ra-LE-lo, e-fer-ves-CEN-te e mo-DER-no.

Alternativa B.

11. Assinale a alternativa que, pela ordem, preenche corretamente as lacunas das frases abaixo.

Não entendi o ____ de sua alegria repentina.
Ela queria saber ____ chovia tanto em janeiro.
Faltei às aulas, ____ anteontem tive de viajar.

a. porque - por que - por que
b. porquê - porque - por que
c. porque - por quê - porque
d. porquê - por que - porque
e. por quê - porque - por que

D.A. RESOLVE

Na primeira oração, a palavra que a preenche, corretamente, pode ser trocada por MOTIVO. Além disso, observa-se a palavra O antes do tracejado. Daí, O MOTIVO. A palavra classifica-se como substantivo, sendo escrita toda junta com acento circunflexo: O PORQUÊ.
Na segunda oração, ao se fazer o preenchimento com a palavra certa, deve-se observar que antes do tracejado está vindo o verbo SABER e faz-se o seguinte questionamento SABER O QUE? Quando se faz a pergunta depois do verbo SABER para completar-lhe o sentido, tem-se um objeto direto. O emprego será, sempre, separado: POR QUE e sem acento circunflexo.
Na terceira, tem-se uma explicação que justifica a ausência às aulas anteontem. Emprega-se PORQUE junto e sem acento circunflexo, porque se trata de uma resposta. Tem-se uma conjunção.

Alternativa D.

12. Assinale a alternativa em que a concordância verbal está correta.

a. Maria e meu primo mais velho foi procurar novas figurinhas.
b. Surgiram de surpresa o mágico carregando sua maleta.
c. Na América, existiram muitos povos pré-colombianos.
d. Quando fui à Bahia, fizeram dias muito agradáveis.
e. Haviam na cozinha muitas pessoas esperando o almoço.

D.A. RESOLVE

Para haver concordância verbal é necessário que o verbo concorde em número (=singular ou plural) e pessoa (1ª, 2ª ou 3ª) com o sujeito da oração a que se refere.
Na alternativa a. o sujeito é composto, Maria = ela e meu primo = ele, o verbo deveria ir para a 3ª pessoa do plural = foram procurar.
O sujeito da alternativa b. é o mágico = ele, 3ª pessoa do singular,  o verbo deveria ficar na 3ª pessoa do singular, surgiu.
Alternativa c. tem por sujeito muitos povos pré-colombianos = eles, 3ª pessoa do plural, o verbo está na 3ª pessoa do plural, existiram,  concordando, corretamente, com o sujeito.
Nas alternativas d. e e. os verbos fazerindicando tempo e haversinônimo de existir, contemplam orações sem sujeito, portanto não concordam com nenhuma palavra das orações e ficariam, fez e havia.


Alternativa C.


O texto abaixo se refere à questão 13.


Quanto os políticos ganham?


Esquece a lógica: deputados estaduais, por exemplo, tiram quase 10% a mais que o presidente da República. Quem manda nos contra-cheques desse povo é o Congresso Nacional. Os deputados e senadores determinam o teto dos vencimentos, que é o salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (R$ 24,5 mil). Além disso, ditam quanto o presidente, os ministros de Estado e eles mesmos devem tirar no fim do mês. Os deputados estaduais fazem a mesma coisa, mas a Constituição diz que o salário deles não pode ser maior do que 75% do de um congressista. Um vereador, por fim, não pode tirar mais de três quartos de que ganha um deputado estadual. É um efeito dominó: quanto maior for a grana dos deputados e senadores, maior vai ser a do resto. E olha que, no ano passado, os congressistas tentaram igualar seu salário ao do Supremo numa canetada só. Mas parte deles achou que acabaria de filme queimado com os eleitores, e a coisa não decolou. Tem lógica.
Fonte: PAULINO, R.; VERSIGNASSI, A. Revista Superinteressante, 226. ed., p. 44, maio 2006.

13. A expressão “esquece a lógica”, com a qual o texto se inicia, significa que, segundo seu autor, seria lógico

a. o Congresso não legislar sobre os salários dos políticos.
b. que o teto salarial dos políticos fosse menor que R$ 24,5 mil.
c. que o presidente determinasse o salário dos deputados.
d. que senadores ganhassem mais que deputados.
e. o presidente da República ter o salário mais alto.

D.A. RESOLVE

O texto procura retratar o absurdo que é a condição salarial dos congressistas e suas crescentes buscas a maiores patamares salariais, pois só se controlam para não dar na vista do eleitorado. Pela maior responsabilidade de comando e pela lógica o presidente da República deveria ter o salário mais alto e ninguém deveria ter seus vencimentos aproximados, mas não é isso que ocorre no País.

Alternativa E.

14. Assinale a alternativa cujo verbo destacado esteja no pretérito perfeito.

a. “Quando gastou esse dinheiro...”
b. “... não havia mais por quer ir à Lua...”
c. “... afirma Steven J. Dick, chefe da divisão de história da Nasa.”
d. “... a retomada das viagens possibilitará o desenvolvimento de tecnologias...”
e. “... está sendo desenvolvido um novo veículo espacial...”

D.A. RESOLVE

O pretérito perfeito do Indicativo indica que uma ação teve seu início, desenvolveu-se e terminou. 
A alternativa b. apresenta o verbo haver, conjugado no pretérito imperfeito do Indicativo, ação iniciada, mas não concluída.
A alternativa c. menciona o verbo afirmar no presente do Indicativo, ação que acontece agora.
Na alternativa d., o verbo possibilitar está no futuro do presente do Indicativo, ação que, ainda, irá ocorrer.
Na alternativa e., aparece uma locução verbal formada de 3 verbos: está sendo desenvolvido, conjunto verbal com ação ocorrendo no momento.

Apenas, em uma alternativa, há um verbo no pretérito perfeito do Indicativo que é a

Alternativa A.

15. Assinale a alternativa que contém os antônimos das palavras destacadas abaixo.

“... há centenas de lagoas de águas cristalinas entre as dunas...”
“... o sol escaldante da região Nordeste cega momentaneamente.”
“... Barreirinhas, a capital informal dos Lençóis.”

a. turvas - refrescante - oficial
b. espessas - suave - incomum
c. transparentes - brando - formal
d. sujas - agradável - alternativa
e. agitadas - calorento - convencional

D. A. RESOLVE

Emprega-se antônimo para mostrar o sentido contrário, oposto, que uma palavra tem.
A única alternativa que contempla as três orações, acima, empregando palavras de sentido oposto às destacadas é a

Alternativa A.

O texto abaixo se refere às questões 16 17.

“Mãe é tudo igual, só muda de endereço? A ‘boutade’( 1 ) é boa, mas não corresponde aos fatos. Algumas estão atropelando o ditado e a imagem solidificada do que se espera de uma “boa mãe” e não mudam apenas de endereço, mas do endereço – o dos filhos, no caso. São mulheres que enfrentam duas separações, a primeira do marido, a segunda da própria cria, que, com a ausência delas, vai morar com o pai.”...

( 1 ) ‘boutade’ – tirada espirituosa ou engraçada.

Fonte: Adaptado de OLIVEIRA, R.; YURI, R. Revista da Folha, 718. ed., p. 6, 14 maio 2006.

16. É correto afirmar que a idéia central do trecho acima é a


a. nova imagem de uma “boa mãe” na sociedade.
b. disputa entre pais e mães pela guarda dos filhos.
c. mudança de comportamento de algumas mães.
d. possibilidade de escolha dos filhos de pais separados.
e. predileção dos filhos em morar com o pai.


D.A. RESOLVE


O texto retrata uma imagem diferente daquela apregoada pela sociedade, pelos escritores e pelos poetas como também pela religião: mãe - um ser dotado de candura, generosidade, bondade  e docilidade, que amamenta, embala, orienta e protege, sempre, sua cria.
No entanto, devido a situações diversas e, muitas vezes, comportamentais, algumas têm posturas, atitudes e demonstrações afetivas diferentes que as afastam de sua família.

Alternativa C.

17. No trecho: “... não mudam apenas de endereço, mas do endereço...”, entre as orações, há uma relação de

a. condição.    b. conseqüência.    c. explicação.     d. adição.     e. adversidade.

D.A. RESOLVE

A palavra destacada - mas - liga as duas orações apresentadas, acima. Pelo fato de ligar orações, classifica-se como conjunção. Por ligar orações de mesmo valor, é uma conjunção coordenativa. No entanto, apresenta uma ideia contrária à da oração anterioropõe-se àquela, dá uma condição adversária, esta é a relação estabelecida entre as orações.

Alternativa E

O texto abaixo se refere às questões 18 e 19.

Ser criança

Doze de outubro é declarado o Dia da Criança. Quem comemora tal data? O comércio, sem dúvida. Por mais tímidas que sejam as vendas de brinquedos, eletrônicos e toda sorte de produtos para o público infantil – aliás, é bom considerar que até adolescentes correm sério risco de serem presenteados –, um aumento sempre acontece. É que pais, tios, avós e amigos da família querem fazer um mimo para a criança, que, exposta que está aos veículos de comunicação, sabe cobrar o que acha devido. Ganhar presentes nessa data tornou-se fato quase banal. Obrigação, digamos. Será que as crianças desfrutam dos presentes? Provavelmente, sim, por pelo menos uns 15 minutos. O fato é que, para crianças que já têm mais do que precisariam para descobrir o mundo pela brincadeira, fica difícil entregar-se a uma única atividade ou escolher um brinquedo entre tantos. Vale lembrar um velho ditado popular que diz que quem tem tudo não tem nada. Pensando bem, o comércio e a indústria talvez sejam os únicos segmentos da sociedade com motivos para comemorar a data. Afinal, o que pais, profissionais da educação e adultos implicados com o futuro teriam a celebrar? O fato de a identidade infantil estar perdida no mundo contemporâneo?
Vejamos: as crianças pertencentes a famílias de classe média não têm tempo nem espaço para brincar. Desde cedo, são estimuladas para o aprendizado que deverá render frutos no futuro. São intencionalmente dirigidas pelos adultos em brincadeiras que visam algum aprendizado. Ora, brincadeira com objetivo e traçado planejados não é divertimento, tampouco passatempo. É lição disfarçada de brincadeira.
O espaço da criança foi eliminado. Em casa, muitos pais têm a ilusão de que destinar o quarto do filho para que ele esparrame seus muitos brinquedos e faça o que quiser é dar espaço a ele. Mas a criança fica é confinada em seu quarto. O espaço público foi roubado dela. Não dizemos que  rua não é lugar para criança? Por outro lado, consideramos que shopping o é. Mas o fator que mais contribui para a eliminação da identidade infantil é a maneira como tratamos e educamos as crianças. Elas são introduzidas no mundo adulto de modo repentino e prematuro – pelas informações que recebem, pelo modo de se vestirem e se portarem, pelos locais que freqüentam, pela linguagem que aprendem, pela cobrança que recebem etc. Não: as crianças de hoje não são precoces, como muitos acreditam. Suas manifestações são só reflexos dos ensinamentos e estímulos que recebem e do mundo em que vivem. Podemos considerar o Dia da Criança, atualmente, um dia vazio de sentido. Precisamos construir muitos outros dias para que a criança possa ser criança. Afinal, são bem poucos os anos em que se pode ser criança: mais ou menos seis para a primeira fase da infância e, depois, outro período equivalente para a segunda. E temos o restante da vida – quase 60 anos, em média – para aprender a ser adultos e a cuidar dos mais novos. Por um Dia da Criança infantil!
Fonte: adaptado de: SAYÃO, R. Folha de S. Paulo, São Paulo, 11 out. 2007, Equilíbrio, p. 12.

18. “...as crianças pertencentes a famílias de classe média não têm tempo nem espaço...” O sujeito da oração acima é

a. a famílias de classe média.
b. as crianças pertencentes a famílias de classe média.
c. as crianças pertencentes a famílias.
d. as crianças.
e. não têm tempo nem espaço.

D.A. RESOLVE

Para ser encontrado o sujeito de uma oração, é necessário, primeiro, localizar o verbo da referida oração e fazer uma das perguntas a ele: quem? (sujeito = ser vivo) e o que? (sujeito = ser inanimado, coisas em geral). A pergunta deve ser, sempre, antes do verbo: quem não tem tempo, nem espaço? R.: as crianças.
No entender da "Desafio Alfa", o trecho: "... pertencentes a famílias de classe média ..." não pode fazer parte do sujeito, pois, ao ser desdobrado, tem-se: ...QUE (= AS QUAISpertencem a famílias de classe média..., considerada oração subordinada adjetiva, em que a palavra QUE pode ser substituída por AS QUAIS, que, ainda, pode ser substituída por AS CRIANÇASEntão, QUE e AS QUAIS são pronomes relativos e criam orações subordinadas adjetivas.

Não há alternativa correta.

19. “Não: as crianças de hoje não são precoces, como muitos acreditam. Suas manifestações são só  reflexos dos ensinamentos e estímulos que recebem e do mundo em que vivem.”

No trecho acima, os sinônimos das palavras precocesmanifestações e estímulos são:

a. preconceituosas; birras; influxos.
b. antecipadas; maneiras; presentes.
c. mimadas; vontades; provocações.
d. adiantadas; atitudes; impulsos.
e. prematuras; ações; propagandas.

D.A.RESOLVE

Entende-se por sinônimo o emprego de uma palavra que tem o mesmo significado de uma outra. Exemplo: casa = residência, moradia, lar. As três palavras apresentadas têm o mesmo significado de casa.

As palavras destacadas, no trecho desta questão, podem ser substituídas por outras de mesmo significado das que substituíram.

Alternativa D.

O texto abaixo se refere à questão 20.

Com medo dos alunos

Há um problema novo nas escolas brasileiras: a indisciplina nas salas de aula assumiu tais proporções que muitos professores estão com medo dos alunos. Não se trata da violência que, nos bairros pobres, ultrapassa os muros escolares e ameaça fisicamente os educadores, mas sim de um fenômeno de subversão do senso de hierarquia que ocorre em grandes redes de ensino privadas e também está presente em colégios tradicionais. Uma explicação parcial para essa mudança de comportamento é a seguinte: os alunos ignoram a autoridade do professor porque o vêem como uma espécie de empregado ou prestador de serviços, pago por seus pais. Uma das queixas mais comuns dos professores diz respeito ao sentimento de impotência diante de alunos indisciplinados. Certas escolas agem como se a lógica do comércio – aquela que diz que o freguês sempre tem razão – também valesse dentro da classe. “Os professores estão sofrendo de fobia escolar, antes um distúrbio psicológico exclusivo das crianças”, diz o psicanalista Raymundo de Lima, professor do departamento de fundamentos da educação da Universidade Estadual de Maringá, no Paraná.
O professor que desenvolve fobia escolar sente um pavor profundo da escola e da sala de aula, acompanhado de alterações físicas como palpitações e tremores. Os ambulatórios psiquiátricos dos hospitais brasileiros já registraram o aumento dos casos de professores com distúrbios de ansiedade, entre eles a fobia escolar. “O número de professoras que têm procurado atendimento por estar estressadas, deprimidas ou sofrendo de crise do pânico aumentou cerca de 20% nos últimos três anos”, diz Joel Rennó Júnior, coordenador do Projeto de Atenção à Saúde Mental da Mulher do Hospital das Clínicas de São Paulo. Até meados dos anos 90, esse tipo de distúrbio psicológico era um quase monopólio daqueles professores que trabalham em escolas públicas. Hoje, afeta igual quantidade de educadores de colégios particulares. Sempre fez parte do desafio do magistério administrar adolescentes com hormônios em ebulição e com o desejo natural de desafiar as regras. A diferença é que, hoje, em muitos casos, a relação comercial entre a escola e os pais se sobrepõe à autoridade do professor.
(...)
Fonte: COSTAS, R. Revista Veja. 19. ed., ano 38, p. 63, 11 maio 2005.

20No trecho: “Não se trata da violência que, nos bairros pobres, ultrapassa os muros escolares e ameaça fisicamente os educadores...” o texto sugere que


a. nas escolas dos bairros ricos não ocorre violência.
b. também entre os ricos a violência é alarmante.
c. os índices de violência só crescem entre alunos carentes.
d. o nível de violência é igual em qualquer tipo de escola.
e. a violência é comum nas escolas de bairros pobres.


D.A. RESOLVE


Hoje, a agressividade está presente, fora e dentro, das escolas públicas, as únicas presentes em bairros pobres. Nelas, a autoridade dos professores desapareceu, completamente, pelo entendimento de que tais servidores são custeados pela sociedade, cujos contribuintes diretos são os pais. Buscam-se, apenas, os direitos, não mais os deveres, o respeito em especial, que não mais existe a começar em grande número de casas, pois muitos pais defendem muitas atitudes vândalas dos filhos e não se esforçam em orientá-los para terem respeito e valorizarem o conhecimento dos docentes, bem como exigirem que o nível das aulas melhore cada vez mais.
Tal condição crítica vem aumentando, na maioria da escolas de todos os bairros, incluídas as públicas e particulares, de que participam estudantes de todas as classes sociais.


Alternativa E.

MATEMÁTICA

21. Em 2004, segundo a Associação Brasileira dos Acampamentos Educativos (acampamentos de férias com atrações programadas e desenvolvidas por monitores), 54 dos 60 acampamentos do País estavam em São Paulo.
Fonte: adaptado de Revista Época, 21 jun. 2004.


Do total de Acampamentos Educativos existentes no País, o percentual dos que estavam localizados em São Paulo é de


a. 75%.     b. 80%.     c. 85%.     d. 90%.     e. 95%


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é estabelecer uma porcentagem x % dos 60 acampamentos que equivale aos 54 que estão em São Paulo.


O segundo passo é equacionar a situação e resolvê-la encontrando o valor de x, tem-se:




Desta forma, 90 % dos acampamentos são em São Paulo.


Alternativa D.


22. Observe o terreno abaixo:



Separando um quadrado com 4 m de lado, restará no terreno uma área, em metros quadrados, equivalente a


a. 36.       b. 38.       c. 40.       d. 44.        e. 46.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é calcular a área do terreno retangular com 9 m de comprimento e 6 m de largura, tem-se:



O segundo passo é calcular a área do quadrado de lado 4 m, que será separado do terreno, tem-se:




O terceiro passo é subtrair da área do terreno a área do quadrado, para encontrar a área restante, tem-se:




Restaram do terreno 38.


Alternativa B.

23. Quatro amigas compraram em sociedade, duas garrafas de 1,25 L de suco de laranja e uma garrafa de 1 L de suco de uva. Se os sucos forem divididos igualmente entre as quatro amigas, cada uma delas poderá tomar

a. 250 mL.     b. 315 mL.     c. 565 mL.      d. 625 mL.       e. 875 mL.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é converter as unidades de volume que estão em litros para mililitros, uma vez que, as alternativas estão nesta unidade. Para isso, utiliza-se regra de três simples, sabendo que 1 litro tem 1.000 mililitro, tem-se:




Então, foram 1.250 mL de suco de laranja e 1.000 mL de suco de uva.

O segundo passo é somar as duas quantidades dos dois sucos e dividir o total de suco pelas quatro amigas, tem-se:


Cada uma das amigas poderá beber 875 mL de suco no total.


Alternativa E.

24. Em 2004, na cidade de São Paulo, foram emitidas 3.145.192 multas de trânsito. Em 12 meses, o número de multas de trânsito emitidas mensalmente foi de, aproximadmente,

a. 262.990.     b. 262.299.      c. 262.199.      d. 262.160.      e. 262.099.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é identificar que o número mensal de multas é dado pelo quociente entre o total de multas no ano de 2004 e o número de meses do ano.


O segundo passo é realizar a divisão e obter o quociente, tem-se:




O número de multas mensais em 2004 foi de 262.099 multas.


Alternativa E.

25. O combustível de 18 tanques, contendo 8.760 litros cada um, será armazenado em 45 tanques menores, em quantidades iguais. A quantidade de litros de combustível, de cada um desses tanques, será

a. 3.424.     b. 3.446.      c. 3.486.        d. 3.504.        e. 3.526.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é descobrir o total de litros armazenados em 18 tanques, tem-se:




O segundo passo é calcular a quantidade de litros em cada um dos 45 tanques menores, todos iguais, tem-se:




Cada um dos 45 tanques menores tem capacidade para 3.504 litros.


Alternativa D.

26. O gráfico contém dados de janeiro de 2004 a janeiro de 2005:


Fonte: Fundação SEADE e DIEESE

Com base nos dados do gráfico, podemos afirmar que, no ano de 2004, os meses em que se observa menor decréscimo na taxa de desemprego, com relação ao mês anterior, foram 

a. fevereiro e novembro.
b. abril e agosto.
c. junho e outubro.
d. agosto e novembro.
e. setembro e dezembro.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é saber que o menor decréscimo é identificado pela menor inclinação decrescente da reta ou pela taxa de decréscimo.


O segundo passo é identificar onde os segmentos de reta têm a menor inclinação, tem-se:




Os meses onde houve o menor decréscimo foram agosto e novembro.
Caso fique alguma dúvida, no terceiro passo calculam-se as taxas de decréscimo, tem-se:


As taxas de decréscimo de agosto foi de 1,081 % e a de novembro 1,136 % todas as demais são superiores a essas taxas e isso é perceptível pelos decréscimos apresentados [( abril / maio 20,7 - 19,7 = 1,0),( maio / junho 19,7 - 19,1 = 0,6),(agosto / setembro 18,3 - 17,9 = 0,4),(setembro / outubro 17,9 - 17,6 = 0,3),(novembro / dezembro 17,4 - 17,1 = 0,3),(dezembro / janeiro 17,1 - 16,7 = 0,4)] que são todos superiores aos de (julho / agosto) e (outubro / novembro) .

Alternativa D.

27. Uma costureira para fazer 18 agasalhos gasta 32,4 m de tecido. Como resolveu fazer mais cinco agasalhos, a quantidade total de tecido que ela gastou foi de

a. 48,2 m.     b. 46,6 m.     c. 45,8 m.     d. 43,9 m.     e. 41,4 m.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é descobrir o total de agasalhos feitos pela costureira, tem-se:




A costureira fará 23 agasalhos e utiliza 32,4 m de tecido para fazer 18 agasalhos. Desta forma, através de uma regra de três simples calcula-se quantos metros de tecidos serão necessários, tem-se:




Para fabricar 23 agasalhos utilizam-se 41,4 m de tecido.


Alternativa E.

28. Uma caixa contém 19,2 kg de farelo, que serão empacotados em sacos de 600 g cada um. O total de sacos que se pode obter com esse farelo é

a. 28.      b. 29.      c. 30.      d. 31.      e. 32.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é converter 19,2 kg em g, tem-se:


A caixa de farelo contém 19.200 g de massa.


O segundo passo é verificar quantos sacos, de 600 g cada, serão empacotados com o conteúdo da caixa, tem-se:




Com o conteúdo da caixa serão empacotados 32 sacos com massa de 600 g.


Alternativa E.

29. Um poço circular foi cavado com diâmetro de 140 cm. A linha da circunferência que circunda a boca do poço, mede, em centímetros



a. 438,0.     b. 439,6.      c. 441,4.      d. 443,8.        e. 445,0.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é esquematizar a situação, demonstrando o que são diâmetro e  linha que circunda a boca do poço, vê-se:




O segundo passo é relembrar a relação entre o comprimento da circunferência (perímetro) e seu diâmetro, tem-se:




Sabe-se, então, que o comprimento da circunferência está relacionado com o tamanho do raio e, consequentemente, com o tamanho do diâmetro da mesma.


O terceiro passo é calcular o comprimento da circunferência que determina a boca do poço, tem-se:




A linha que circunda a boca do poço tem 439,6 cm de comprimento.


Alternativa B.

30. Duas torneiras estão enchendo um tanque, ao mesmo tempo. A primeira torneira já despejou água para encher 3/13 do tanque e, a segunda, 5/13 desse tanque. Nesse momento, a fração que representa a parte que falta para encher o tanque é

a. 2/13.      b. 3/13.      c. 5/13.      d. 8/13.        e. 11/13. 


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é calcular que fração do tanque já está cheia, pelas duas torneiras, nesse momento, tem-se:




Sabe-se que a fração do tanque cheia pela duas torneiras é 8/13.


O segundo passo é calcular a fração que falta para encher o tanque, tem-se:



Faltam ainda encher 5/13 do tanque.


Alternativa C.

31. Pedro tem uma certa quantia e seu primo José tem R$ 150,00 a mais que ele. Se os dois juntos têm R$ 550,00, então a quantia que Pedro tem é de

a. R$ 200,00.    b. R$ 250,00.    c. R$ 300,00.    d. R$ 350,00.    e. R$ 400,00.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é determinar a quantia de Pedro como sendo x.


O segundo passo é equacionar a situação, tem-se:




O terceiro passo é solucionar a equação e encontrar o valor x, que representa a quantia de Pedro, tem-se:




Pedro possui R$ 200,00.


Alternativa A.

32. Para representar um homem de 1,95 m de altura, um pintor usou a escala 1:15. A altura desse homem na tela, em centímetros, corresponde a

a. 16.      b. 15.      c. 14.       d. 13.       e. 12.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender como funciona a escala, que é uma razão entre a medida do modelo e a medida real, tem-se:




Como o problema quer a resposta em centímetros, no segundo passo convém transformar a altura do homem de 1,95 m para cm, tem-se:




O homem tem 195 cm de altura.


O terceiro passo é montar uma razão com a altura real do homem e o valor x para altura da pintura e, logo após, fazer uma proporção com a escala, tem-se:




Desta forma, a altura do homem na pintura será de 13 cm.

Alternativa D.

33. O departamento de controle de qualidade de uma empresa, ao analisar um lote com 1.575 peças verificou que de cada 25 peças analisadas, quatro foram rejeitadas. Então, a quantidade total de peças que foram aprovadas, nesse lote, foi de

a. 306.     b. 312.     c. 1.281.     d. 1.309.       e. 1.323.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é determinar a razão entre o número de peças analisadas e o número de peças rejeitadas e, em seguida, estabelecer uma proporção entre essa razão e a razão entre o total de peças do lote e as peças que serão rejeitadas, tem-se:




O segundo passo é calcular a razão e proporção, multiplicando-se os termos em cruz, tem-se:




Sabe-se, então, que o número de peças rejeitadas, do lote, é 252.


O terceiro passo é calcular quantas peças do lote foram aprovadas, tem-se:




O total de peças aprovadas, do lote, foi de 1.323.


Alternativa E.

34. Três torres com antena de celular estão representadas, na figura abaixo, pelos pontos A, B e C. A distância X entre as torres A e B mede, em km,


a. 25.     b. 26.      c. 27.       d. 28.       e. 29.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender que as torres com antenas de celular estão nos vértices de um triângulo retângulo e todo triângulo retângulo aceita o Teorema de Pitágoras, vê-se:




O segundo passo é relacionar os elementos do triângulo retângulo com as distâncias entre as torres, utilizar o Teorema de Pitágoras e calcular a distância x (entre as antenas A e B), tem-se:




A distância x entre as torres A e B é 26 km.


Alternativa B.

35. De uma barra de chocolate foi usado 2/11 para fazer a cobertura de um bolo e ainda da barra inicial foram usados 5/11 para o recheio. A fração que representa o chocolate que restou dessa barra, é

a. 3/11.      b. 4/11.        c. 5/11.       d. 6/11.       e. 7/11.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é saber representar uma barra inteira de chocolate em uma fração cujo denominador é 11, tem-se:




O segundo passo é subtrair da fração que representa a barra inteira de chocolate a fração correspondente à cobertura do bolo, tem-se:




O terceiro passo é subtrair do restante do chocolate a fração correspondente ao recheio do bolo, tem-se:




Desta forma, depois de fazer a cobertura e o recheio ainda sobrou 4/11 da barra de chocolate.


Alternativa B.

36. Para ser transportada, uma pizza de 18 cm de raio ocupa inteiramente a base de uma embalagem circular com uma área de




a. 866,66 cm².
b. 891,76 cm².
c. 954,56 cm².
d. 1.017,36 cm².
e. 1.048,76 cm².


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é esquematizar a embalagem circular de pizza, vê-se:




O segundo passo é relembrar a expressão que representa a área de um círculo, tem-se:




O terceiro passo é calcular a área da embalagem utilizando a expressão para área do círculo, tem-se:




A embalagem de pizza tem uma área de 1.017,36 cm².


Alternativa D.

37. André e Daniel possuem juntos 312 adesivos. A quantidade de adesivos que André possui ultrapassa em 56 adesivos a quantidade que Daniel possui. Então, a quantidade de adesivos que André possui é de


a. 182.        b. 184.        c. 185.        d. 186.         e. 188.      


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é estabelecer a quantidade de adesivos que Daniel possui, adota-se x adesivos.


O segundo passo é equacionar a situação, tem-se:




O terceiro passo é resolver a equação e encontrar quantos adesivos André possui, tem-se:




Alternativa B.


38. Dois atletas, João e Mário, estão treinando num mesmo circuito. Mário completa o percurso a cada 18 minutos e João completa o mesmo percurso a cada 16 minutos. João e Mário agora estão passando pelo marco zero do percurso. A próxima vez em que eles passarão pelo marco zero, ao mesmo tempo, será daqui a 


a. 144 min.      b. 142 min.       c. 136 min.      d. 132 min.       e. 130 min.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender que o problema fala a respeito de acontecimentos periódicos. Um dos atletas completa o percurso em 18 minutos e o outro em 16 minutos. Se eles estão juntos no marco zero do percurso essa situação voltará a acontecer em um tempo múltiplo dos tempos de cada um. A primeira vez que a situação voltar a acontecer será o menor múltiplo comum aos dois tempos.


O segundo passo é calcular o mínimo múltiplo comum entre 18 e 16, para saber quando João e Mário voltarão a se encontrar no marco zero, tem-se:




O novo encontro de João e Mário, no marco zero, será a 144 minutos após o primeiro encontro.


Alternativa A.


39. A tabela a seguir, representa o rendimento anual, em porcentagem (%), das ações de seis empresas cotadas em Bolsa de Valores.



A diferença entre o maior rendimento anual e o menor rendimento anual registrado nessa tabela é de 


a. - 48 %.     b. - 14 %.     c. + 42 %.      d. + 61 %.       e. + 70 %.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é encontrar o maior e o menor rendimento anual, vê-se:




O segundo passo é subtrair do maior rendimento o menor, tem-se:




A diferença entre o maior e o menor rendimento é + 70 %.


Alternativa E.


40. Sete amigas foram comemorar o aniversário de uma delas, que aconteceu no final de semana, num restaurante. Decidiram que a aniversariante não participaria do pagamento da conta que foi de R$ 73,00 e como elas queriam deixar R$ 5,00 de gorjeta para o garçom, cada uma delas contribuiu com


a. R$ 11,00.     b. R$ 12,00.      c. R$ 13,00.      d. R$ 14,00.        e. R$ 15,00.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é encontrar o total pago incluindo a gorjeta do garçom, tem-se:




O segundo passo é calcular quanto, cada uma das seis amigas, pagarão individualmente, uma vez que, a aniversariante não  pagará nada, tem-se:




Cada uma das 6 amigas pagará R$ 13,00 ao restaurante.


Alternativa C.


CIÊNCIAS


41. Sais são substâncias que em solução aquosa liberam pelo menos um cátion diferente de H+ e pelo menos um ânion diferente de OH. O sulfato de cálcio utilizado na fabricação do giz escolar pode ser representado pela fórmula mínima 


a. H2SO4.      b. Mg SO4.      c. Ca SO4.       d. MgOH.        e. Ca(OH)2.


42. Uma pessoa com 60 kg de massa corporal necessita de 1.400 calorias para manter a atividade básica de seu organismo. Em determinado dia, ela faz uma caminhada de uma hora, com gasto energético de 200 calorias. Nesse dia, para satisfazer a necessidade calórica, sem engordar nem emagrecer, essa pessoa deve ingerir


a. 100 calorias.
b. 1.200 calorias.
c. 1.400 calorias.
d. 1.600 calorias.
e. 1.800 calorias.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é saber que para se manter com massa de 60 kg a pessoa necessita consumir 1.400 calorias que serão utilizadas em suas atividades básicas, mas a pessoa teve um gasto energético extra de 200 calorias com uma caminhada de 1 hora. Desta forma, essa pessoa deverá consumir um total de 1.600 calorias para suprir o gasto energético desse dia.


Alternativa D.


43. O esquema abaixo mostra hidrogênio, oxigênio e água.



No esquema existem:

a. 6 moléculas de hidrogênio, 3 átomos de oxigênio e 6 moléculas de água.
b. 2 moléculas de hidrogênio, 2 átomos de oxigênio e 2 moléculas de água.
c. 6 moléculas de hidrogênio, 3 moléculas de oxigênio e 6 moléculas de água.
d. 6 átomos de hidrogênio, 6 átomos de oxigênio e 6 moléculas de água.
e. 12 átomos de hidrogênio, 3 átomos de oxigênio e 6 átomos de água.

44. Um pequeno rio recebeu grande quantidade de dejetos humanos. Um grande número de algas que viviam no fundo do rio morreu por falta de luz. Em conseqüência disso, ocorreram outras mortes como mostra a tabela abaixo:


O fato de nascerem muitas bactérias anaeróbias indica


a. a ausência de oxigênio na água.
b. a presença de oxigênio na água.
c. que os peixes comeram os crustáceos.
d. que os crustáceos comeram as algas.
e. a presença de nitrogênio na água.


45. “A energia não se cria nem se destrói, apenas se transforma de um tipo em outro”.
Para explicar esta frase, a professora segurou uma bola na posição 1 do esquema. Em seguida, soltou a bola que passou para a posição 2, no solo.



No esquema, a força de gravidade da Terra atrai a bola para o solo.
Quando a bola está saindo da posição 1 para a 2, ocorre transformação de energia

a. cinética ou de movimento para energia térmica.
b. potencial gravitacional para energia cinética ou de movimento.
c. potencial gravitacional para energia de movimentação dos elétrons.
d. cinética ou de movimento para energia gravitacional.
e. cinética gravitacional para térmica gravitacional ou de movimento.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é identificar que tipo de energia a bola possui na posição 1. Devido a Força de Atração Gravitacional que a Terra exerce sobre a bola, esta possui Energia Potencial Gravitacional, quando na posição 1. Esse tipo de  depende da massa da bola, da altura da bola em relação ao solo e da aceleração da gravidade local, vê-se:


O segundo passo é entender que, conforme, a bola vai caindo ela troca altura por velocidade. Quando na posição 1, a bola não possui velocidade e tem altura máxima. Já na posição 2 a bola não possui altura em relação ao solo e tem velocidade máxima. Houve uma troca de altura por velocidade e, consequentemente, de Energia Potencial Gravitacional por Energia Cinética, vê-se:




Desta forma, a Energia Potencial Gravitacional devido a altura da bola vai se transformando em Energia Cinética, conforme a bola ganha velocidade.

Alternativa B.
  
46. Um vidro de geléia é fechado por uma tampa metálica. Ao tentar abri-lo, Sueli percebe que há dificuldade. Então, para facilitar a abertura ela resolve mergulhar a região da 

a. base do vidro em água gelada, para aumentar seu diâmetro interno.
b. base do vidro em água quente, para aumentar seu diâmetro externo.
c. tampa metálica em água gelada, para diminuir seu diâmetro interno.
d. tampa metálica, em água quente, para aumentar seu diâmetro interno.
e. tampa metálica, em água gelada, para aumentar seu diâmetro interno.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é saber que toda matéria ao receber calor e aumentar de temperatura sofre uma dilatação e na perda de calor, diminuição da temperatura, sofre uma contração.


O segundo passo é saber que se a tampa metálica for mergulhada em água quente, ela ganha calor e aumenta de temperatura, consequentemente, tem seu diâmetro dilatado, o que facilita a abertura do vidro.


Alternativa D.

47. O gelo seco, CO2, é gás carbônico que se solidifica à temperatura de - 80 ºC. Quando um pedaço de gelo seco é colocado em uma jarra com água líquida, o gelo seco forma uma fumaça branca, muito utilizada em apresentações de bandas de rock.
Ocorre mudança de estado físico do gelo seco sólido para o estado gasoso, ao contato com a água porque o 

a. calor da água aquece o gelo seco.
b. frio do gelo seco passa para a água.
c. calor da água aquece o ar que aquece o gelo seco.
d. frio do gelo seco esfria o ar que condensa.
e. calor do ar aquece o gelo seco.


D.A. RESOLVE


Esse processo de sublimação, passagem do estado sólido (gelo seco) para o estado gasoso (fumaça branca) acontece devido a transferência de calor da água, com maior temperatura (temperatura ambiente), para o gelo seco, com menor temperatura ( - 80 °C ). O gelo seco sublima e se transforma em fumaça.


Alternativa A.

48. Um secador de cabelos traz escrito no cabo a seguinte informação: 220 V - 2400 W. Antes de utilizá-lo, Maria consulta o folheto explicativo e conclui que pode ligá-lo a uma instalação de 127 V ou de 220 V, dependendo da posição da chave do secador. Se a chave estiver na posição 220 V, ao ligá-lo na instalação de 127 V, o secador 

a. queima, porque o filamento do resistor aquecerá demais.
b. funciona, mas aquecerá menos que na instalação de 220 V.
c. queima, porque a corrente elétrica é maior e aquece o resistor.
d. funciona e aquece mais que na instalação de 220 V.
e. queima, porque não atinge a potência de 2.400 W.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender o conceito de potência. A potência é a quantidade de energia consumida em um certo instante de tempo, quanto maior a potência maior é a energia consumida e, dessa forma, maior o aquecimento.

O segundo passo é conhecer o conceito de potencia elétrica que tem relação com a tensão elétrica, a corrente elétrica e a resistência elétrica, tem-se:


Percebe-se, então, que quanto maior a tensão elétrica, maior a potência consumida e maior é o aquecimento.

O terceiro passo é utilizar a potência elétrica do secador na tensão de 220 V  para calcular a resistência elétrica do mesmo quando a chave está em 220 V, tem-se:


Quando chaveado em 220 V a resistência do secador é 20,17 ohms.

O quarto passo é calcular a potência do secador se ele for ligado na tesão de 127 V quando chaveado em 220 V, tem-se:


Vê-se, então, que quando ligado em 127 V, o secador chaveado em 220 V desenvolve uma potencia de 799,65 W. Potência essa, menor que a de 2.400 W, quando ligado a tensão de 220 V. Potência menor, menos aquecimento.

Alternativa B.

49. Um homem ergue a mesma carga de massa, 50 kg, à velocidade constante, sem atrito, utilizando sempre a mesma roldana e a mesma corda, conforme os esquemas:


Fonte: adaptado de CARRON, W.; GUIMARÃES, O. Física: volume único. São Paulo: Moderna, 2003, p. 107.


A força com que o homem terá de puxar a corda, no sentido da seta, para elevar o bloco à mesma altura será 


a. menor em A porque o ângulo é 180º.
b. menor em B porque o ângulo é 52º.
c. menor em C porque o ângulo é menor.
d. maior em B porque o ângulo é menor que 180º.
e. maior em C porque o ângulo é menor que 52º.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender que a força aplicada deve ser contrária à força peso ou à uma componente da força peso, vê-se:




O segundo passo é analisar a decomposição da força peso e encontrar a componente que se opõe a força F, tem-se:




O terceiro passo é calcular o valor da força F em cada um dos casos apresentados, tem-se:




Percebe-se que quanto menor o ângulo de inclinação do plano inclinado menor a força a ser empregada.


Alternativa C.


50. Um automóvel parte do km 16 de uma rodovia às 10h10min movimentando-se de acordo com a tabela abaixo:



A velocidade escalar média pode ser determinada dividindo-se o espaço percorrido pelo tempo gasto para percorrê-lo. Assim, se o automóvel saiu às 10h10min do marco do km 16, sua velocidade escalar média entre os marcos km 16 e km 22 é de


a. 1,6 km/min.    b. 2,0 km/min.    c. 2,2 km/min.    d. 3,0 km/min.    e. 4,0 km/min.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é traduzir o conceito de velocidade média para uma expressão matemática, tem-se:




O segundo passo é esquematizar a situação descrita, vê-se:




O terceiro passo é calcular o espaço percorrido, o instante de tempo gasto e a velocidade média do automóvel, tem-se:




Alternativa B.


51. Alguns alunos fizeram a seguinte montagem utilizando um amperímetro, um fio de cobre de três metros, dois fios de ligação e um bico de bunsen. O fio de cobre foi enrolado em um bastão de vidro e ligado aos fios e ao amperímetro, como na figura:



Fonte: AMARAL FILHO, D. et alii. Senai Prática de laboratório 3. São Paulo, 1991, p. 64.


A tabela mostra o resultado da experimentação:



Analisando corretamente o resultado, as partículas de cobre


a. sem aquecimento, agitam-se, dificultando a passagem dos elétrons, aumentando a corrente elétrica.
b. com aquecimento, agitam-se, dificultando a passagem dos elétrons, diminuindo a corrente elétrica.
c. sem aquecimento, não se agitam, facilitando a passagem dos elétrons, diminuindo a corrente elétrica.
d. com aquecimento, agitam-se, facilitando a passagem dos elétrons, diminuindo a corrente elétrica.
e. sem aquecimento, agitam-se, facilitando a passagem da corrente elétrica, diminuindo a corrente elétrica.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender como se comporta a corrente elétrica ao passar por um resistor. Georg Simon Ohm estudou o comportamento da corrente elétrica e sua relação entre a tensão elétrica aplicada e a resistência elétrica do condutor. A 1ª Lei de Ohm diz que a razão entre a tensão elétrica aplica e a corrente elétrica que percorre o condutor é sempre constante e denominada resistência elétrica. Tem-se:


O segundo passo é analisar o que aconteceu quando o condutor foi aquecido pela chama. Percebe-se que houve uma diminuição na corrente elétrica que passava pelo condutor. Levando em consideração que o condutor continuava ligado em mesma tensão, tem-se:


Assim sendo, a resistência R2 (após o aquecimento) é 5 vezes maior que a resistência R1 (antes do aquecimento). Devido ao aquecimento, as partículas do cobre agitam-se, dificultando a passagem dos elétrons, ou melhor, aumentando a resistência elétrica e, consequentemente, diminuindo a corrente elétrica.

Alternativa B.

52. Os seres humanos e as plantas precisam de energia para efetuar todos os processos dentro das células como, por exemplo, a divisão celular para o crescimento e distribuição de substâncias nutritivas. Para isto, os seres humanos e as plantas liberam energia através do processo chamado 


a. fermentação.
b. circulação.
c. digestão celular.
d. fotossíntese.
e. respiração celular.


53. O ar atmosférico contém, entre outros gases, oxigênio e gás carbônico. Durante a respiração pulmonar, ocorrem trocas gasosas, como mostra o quadro:



Fonte: UZUNIAN, A. Biologia 2. São Paulo: Harbra, 1997, p. 214.


De acordo com o quadro, a variação da porcentagem dos gases equivale a


a. 21,03% a mais de oxigênio e 19,6% a menos de gás carbônico.
b. 5,57% a menos de oxigênio e 7% a mais de gás carbônico.
c. 7% a menos de oxigênio e 5,57% a mais de gás carbônico.
d. 17% a mais de oxigênio e 5,3% a menos de gás carbônico.
e. 35% a menos de oxigênio e 5,63% a mais de gás carbônico.


54. Márcia cortou um circulo de cartolina branca e pintou-a como mostra a figura abaixo:



Fonte: SAAD, F. D. Explorando o mundo das Ciências através de experimentos simples. USP, 1995, p. 115.

Ao girar o disco sobre a ponta do lápis, as cores da superfície

a. combinam-se e refletem para os nossos olhos parecendo marrom.
b. misturam-se absorvendo a energia cinética parecendo preto.
c. combinam-se e refletem-se para os nossos olhos parecendo branco.
d. misturam-se e o disco absorve todas as cores parecendo preto.
e. combinam-se e refratam suas cores parecendo verde.

D.A. RESOLVE

O primeiro passo é entender como as cores são enxergadas. Um determinado objeto é visto vermelho pois de todas as frequências dos espectro de cores a única que ele reflete aos olhos é a cor vermelha, as demais, são absorvidas pelo objeto.

O segundo passo é saber que a cor preta é a ausência de frequências do espectro de cores e a cor branca é a combinação de todas as frequências do espectro de cores. Desta forma, ao se girar um disco com todas as cores do espectro ocorre uma combinação de frequências que é refletidas aos olhos como a cor branca.

Alternativa C.

55. Em uma solução, substâncias se dissolvem em outras. A substância a ser dissolvida chama-se soluto, e a substância que dissolve o soluto chama-se solvente, como no caso da solução aquosa de açúcar. Ao observar a ocorrência de reação química entre duas soluções, é correto afirmar que 

a. uma delas usa água como solvente e na outra o solvente é benzina.
b. o soluto é um sal e o solvente é um óxido, nas duas soluções.
c. ambas possuem o mesmo solvente.
d. ambas possuem solventes diferentes.
e. ambas possuem o mesmo soluto.

56. O peso de um corpo é determinado multiplicando-se sua massa pela aceleração da gravidade, representados pela fórmula: P = m . g, onde o peso será em Newton (N), massa em quilogramas (kg) e aceleração da gravidade em (m/s²). Admitindo-se que a gravidade na Terra é de 10 m/s², neste planeta uma pessoa com massa de 50 kg tem peso de

a. 50 N.      b. 100 kg.     c. 100 N.      d. 500 kg.      e. 500 N.


D.A. RESOLVE


Basta utilizar a representação matemática para o concito de peso e calcular o peso, na Terra, da pessoa de massa 50 kg, tem-se:




O peso da pessoa em questão, na Terra, é de 500 N.


Alternativa D.

57. A montagem mostra um imã colocado próximo a um fio condutor:


Quando o circuito é fechado, a corrente elétrica cria em torno de si um campo magnético que atrai a agulha do imã, fazendo com que fique quase perpendicular ao fio. Porém, ao inverter o sentido da corrente, invertendo a posição dos fios na tomada, a agulha do imã

a. permanece estável, sem apresentar deflexão.
b. não acusa passagem de corrente elétrica.
c. não acusa presença de campo magnético.
d. inverte sua posição em relação à anterior.
e. acusa a presença de corrente elétrica maior.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender a experiência de Hans Christian Oersted, Físico dinamarques que descobriu a existência de um campo de indução magnética em um fio condutor retilíneo percorrido por corrente elétrica. 


A experiência mostra que a posição de um ímã posto paralelamente a um fio condutor, e este não sendo percorrido por corrente elétrica, permanece imóvel, enquanto que, ao ser percorrido pela corrente elétrica o ímã gira e se posiciona perpendicularmente ao fio.


O segundo passo é saber que a inversão do sentido da corrente causa um giro de 180° invertendo as posições dos pólos do ímã, vê-se:




Desta forma, a agulha do ímã inverte sua posição em relação à anterior.


Alternativa D.

58. A velocidade de propagação do som a 25 ºC no ar é 346 m/s e na água é de 1.498 m/s. Uma explosão na superfície da água do mar será ouvida mais rapidamente por uma pessoa

a. imersa na água a 100 metros da explosão.
b. sobre a água a 50 metros da explosão.
c. em um barco a 30 metros da explosão.
d. em submarino imerso a 150 metros da explosão.
e. sobre a água a 100 metros da explosão.


D.A. RESOLVE


O primeiro passo é entender o conceito de velocidade. A distância percorrida por um determinado corpo em um dado instante de tempo é chamada de velocidade. Matematicamente, velocidade é a razão entre a distância percorrida e o tempo gasto para percorrê-la, tem-se:




O segundo passo é utilizar a fórmula matemática da velocidade e calcular o tempo em cada uma das situações descritas nas alternativas, tem-se:




O menor tempo, gasto pelo som da explosão até a pessoa, foi de 0,067 s.


Alternativa A.

59. Nos organismos aeróbicos a equação simplificada da respiração celular é representada por:

C6H12O6 + 6 O2 → 6 CO2 + 6 H2O + energia

A respiração é um fenômeno de fundamental importância para a manutenção da vida de um organismo, onde ocorre a oxidação de substâncias de alto valor energético com formação de substâncias de baixo teor energético e liberação de energia. A substância com alto valor energético é 

a. C6H12O6.      b. O2.       c. CO2.      d. H2O.         e. CH4.

60. “Microorganismos transportados por saliva, espirro, tosse, água, alimentos ou contato direto podem penetrar ativamente na pele. Nesse caso, dizemos que houve contaminação. Se esses microorganismos conseguem multiplicar-se rapidamente, desenvolvendo-se dentro do nosso organismo e se nossas defesas interiores não agirem adequadamente, teremos uma infecção”.
Com base nestas informações, conclui-se que

a. infecção antecede a contaminação.
b. infecção é sinônimo de contaminação.
c. não pode ocorrer contaminação sem infecção.
d. não pode haver infecção sem contaminação.
e. sempre ocorre contaminação seguida de infecção.

5 comentários:

  1. Diego Valente Silva - diego-solid@bol.com.br

    A figura mostra a asa de um avião, e a do seu perfil transversal. O perfil é composto por um arco de círculo compreendendo um ângulo de 60°, e uma seção reta, cujo comprimento é R=1,75m. A asa, que também é mostrada na figura, tem comprimento L=11m.

    a) Observe que, devido á curvatura da parte superior do perfil, a componente vertical da força, devida á pressão sobre esta parte do perfil, é dada por Fz=pRL (verifique você mesmo), o que simplifica a solução do problema. Dê um argumento qualitativo para isto acontecer, mesmo a área da parte de cima da asa sendo maior que o produto RL.

    b) Sabendo que o avião tem massa total de 350kg, determine qual a velocidade mínima necessária para a decolagem.

    Obs:. Considere que não há atrito entre o ar e a asa, e que o ar na trajetória do avião está em repouso, ou seja, não há ventos na região da pista de decolagem.

    Dica para a resolução: observe que, quando a asa corta o ar, o tempo gasto para um elemento de fluido percorrer cada uma das partes dos perfis é o mesmo sendo, portanto, diferentes as velocidades de escoamento. (densidade do ar: 1,3kg/m³)

    Link da figura >>> http://img841.imageshack.us/f/semttulohu.png/

    ResponderExcluir
  2. Vocês são ótimos, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. obrigado!Entendi bastante coisa

    ResponderExcluir
  4. Adorei as explicações.. me ajudou bastante ;)

    ResponderExcluir

Para confirmar seu interesse, informe a questão, o nome da prova, seu nome completo e e-mail pessoal.
Se preferir, mande-nos as informações para nosso e-mail: desafio.alfa@gmail.com .

DAXIANOS DO CONHECIMENTO - SEJA MAIS UM...

DAX'S PUBLICAÇÕES

Professores Responsáveis

  • Prof. Edson Gallina
  • Prof. Reginaldo Nofoente Duran