NO ESPAÇO EM BRANCO, ABAIXO, COLOQUE ASSUNTOS DE SEU INTERESSE E PESQUISE.

VISITÔMETRO DO DAX

Português: Elementos da Comunicação

10/07/2010 - Juarez disse...

Em "Flávio telefonou a Carlos para felicitá-lo pelo seu aniversário" identifique o emissor, o receptor, a mensagem e o código.

15/07/2010 - D.A. RESOLVE

Olá Juarez, sou Edson, Professor do D.A. e vou resolver esta dúvida que trata de elementos da comunicação entre as pessoas.
Emissor é, sempre, quem emite, quem faz, quem envia uma mensagem, neste caso, foi o Flávio.
Receptor é a pessoa que recebe esta mensagem, no exemplo, foi o Carlos.
Mensagem é o assunto apresentado: a felicitação do aniversário ao Carlos.
Código é o conjunto comum aos dois seres da comunicação (emissor e receptor), formado de letras e regras que permitem o bom entendimento da mensagem: língua portuguesa foi o código utilizado.

Além dos elementos básicos solicitados, existem, ainda:

Ruído que corresponde à dificuldade de entendimento entre o emissor e o receptor, podendo ser pela comunicação em idiomas diferentes ou qualquer interferência que dificulte o correto entendimento da mensagem.

Canal é o meio empregado para transmitir a mensagem, que pode ser um recurso físico, neste caso, o telefone, ou mesmo qualquer condição psicológica que leve o receptor a interessar-se por ela, neste caso, a emoção dos dois: o emissor e o receptor e, até mesmo, o interesse por fazê-la e as muitas condições que revelaram a lembrança, os laços emocionais ou familiares que unem os dois e o porquê do telefonema.

Espero ter ajudado. Mande-nos mais dúvidas e avise o maior número de amigos para mandarem, também.

VEJA TAMBÉM:


Português: Emprego do modo Imperativo afirmativo

15/06/2010 - Marcelo disse...

Em "olha o céu", na oração "Ói, olha o céu, já não é o mesmo céu que você conheceu, não é mais" o verbo está no

a) presente do Indicativo
b) pretérito perfeito do Indicativo
c) pretérito imperfeito do Indicativo
d) futuro do presente do Indicativo
e) Imperativo afirmativo

                                                       30/06/2010 - CCDA RESOLVE

Olá Marcelo, sou Edson, Professor de Português do CCDA e vou resolver esta dúvida.
São três os modos verbais: Indicativo, Subjuntivo e Imperativo, que devem ser escritos, sempre, com letras maiúsculas. Já os tempos verbais - presentes, pretéritos, futuros - devem ser escritos, sempre, com letras minúsculas.
Para se poder entender em que modo e tempo verbal encontram-se as citações, acima, destacadas, deve-se perceber que se trata de um convite feito para ser observado algo, só que este convite já se manifesta como se fosse uma determinação, uma intimação, uma ordem.
Assim, tem-se o emprego do Imperativo, e por estar sendo feito o convite para que aconteça determinada ação, é o emprego do imperativo afirmativo. As pessoas TU e VÓS do Imperativo afirmativo são muito parecidas com as pessoas do presente do Indicativo, pois são formadas deste tempo verbal, retirando-se, apenas, o S de suas terminações.

A alternativa correta é E.

Espero ter ajudado.

Português: emprego da preposição + regências verbal e nominal

13/06/2010 - Marcelo disse...

Assinale a alternativa em que a preposição - ou a contração de preposição mais artigo - NÃO seja a prescrita norma culta padrão:

a)...trazendo DE longe (DE)...
b)...nem mesmo bagagem NO trem (NO)...
c)...tá chegando NA estação (NA)...
d)...é o ultimo DO sertão (DO)...
e)...é o sinal DAS trombetas (DAS)...

30/06/2010 - CCDA RESOLVE

Olá Marcelo, sou Edson, Professor de Português do CCDA e vou resolver esta dúvida.
Preposição é a palavra que liga palavras e estabelece uma relativa ideia. Exemplo: casa DE pedra. A preposição DE esta ligando CASA e PEDRA e estabelece uma relação entre elas, a relação de matéria(material) com que a casa foi construída.
Muitas vezes, a preposição acompanha um verbo para que seu complemento esteja, perfeitamente, completando seu sentido: Preciso DE prazo para realizar este trabalho (regência verbal: transitivo indireto).
Há adjetivos e substantivos que, também, vêm acompanhados de preposições para que seus complementos se ajustem a um sentido lógico na oração: Estou apto (adjetivo) A este trabalho. Tive pressentimento (substantivo) DA tua volta (regência nominal: complementos nominais).
A preposição é de muita importância em todas as ligações de que participa.
Quanto às alternativas apresentadas, a única que não obedece à norma culta é a alternativa C, porque o verbo chegar, sendo empregado no sentido de atingir um local ou uma data, tem por regência a preposição A e não a preposição EM ou contrações NO, NA, NOS, NAS. O verbo CHEGAR, empregado na alternativa C, é intransitivo, uma vez que " à estação " não completa seu sentido, mas apenas informa um circunstância ( lugar ) da ação expressa pelo verbo.

Espero ter ajudado.

Matemática - Probabilidade "e"

29/06/2010 - Jailson disse... 
 
Em uma empresa 1/3 dos funcionários são casados e os restantes são solteiros. Sabendo que metade dos funcionários têm mais de 21 anos de idade, qual a probabilidade de escolhermos, ao acaso, um funcionário menor de 21 anos casado?
 
Professor, sou o Jailson e não consigo resolver esta questão, por favor, ajude-me. 

01/07/2010 - CCDA RESOLVE
 
Jailson, boa tarde. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-lo em sua dúvida que trata de probabilidade.
 
Se 1/3 dos funcionários são casados e sabe-se que os restantes, 2/3, são solteiros. É fácil perceber que a probabilidade de se escolher um solteiro é de 2 em 3, (2/3) e a probabilidade de se escolher um casado é de 1 em três (1/3). Tem-se, também, que metade dos funcionários tem mais de 21 anos, logo 1/2 tem menos de 21 anos.
 
O conceito de probabilidade é dado pela razão do número de elementos do evento procurado, também, chamado sucesso pelo número de elementos do espaço amostral, também chamado universo.
 
Neste problema, deseja-se saber, qual a probabilidade de se escolher um funcionário que seja casado e tenha menos de 21 anos? Para se chegar a este resultado, emprega-se o conceito da probabilidade "e". Sempre que se precisa calcular a probabilidade de ocorrer um evento x "e" um outro y, basta multiplicar as probabilidades de ocorrência dos acontecimentos em separado. Tem-se:
 
 
A probabilidade de se escolher um funcionário casado com menos de 21 anos é de 16,66 %.
 
Jailson, espero tê-lo ajudado em sua dúvida. Qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos, mande-nos em forma de outra dúvida. 
 
VEJA TAMBÉM:
Matemática - Probabilidade Convocação de Neymar ou Ganso 

    Matemática - Expressão Numérica - Potenciação

    15/06/2010 - Marcelo disse... 
     
    Bom dia, poderia me ajudar nesta questão
     
    O Resultdo de 

    a) 49    b) 81     c) 64      d) 121       e) 100
     
    26/06/2010 - CCDA RESOLVE

    Boa noite, Marcelo. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-lo em sua dúvida que trata de uma expressão númérica envolvendo potenciação com expoentes fracionários.

    Para se calcular, cada uma das potências acima, deve-se fatorar cada uma das base e transformá-las em novas potências. Tem-se:
     

    Agora, aplicam-se as regras de potenciação em cada uma das potências encontradas, tem-se:
     
     
    Depois de efetuados todos os cálculos, chega-se ao resultado 81. Alternativa B.
     
    Marcelo, espero tê-lo ajudado em sua dúvida. Qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos, mande-nos em forma de outra dúvida.

    Matemática - Volume e Área do Cubo

    15/06/2010 - Marcelo disse... 
     
    Bom dia, professor, você poderia me ajudar nesta questão

    O Cubo, também camado de hexaedro, é um poliedro regular com 6 faces. Um determinado cubo tem volume de 343 unidades de volume. A área desse cubo tem quantas unidades de área?

    a) 5.716     b) 210     c) 196     d) 294       e) 147

    24/04/2010 - CCDA RESOLVE
     
    Marcelo, boa noite. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-lo em sua dúvida que trata do volume e da área superficial do cubo.
     
    Deve-se saber que o cubo possue as três dimensões iguais ( altura = largura = comprimento ). As dimensões podem ser chamadas de arestas, então, as arestas do cubo são todas iguais. O volume de um poliedro é calculado pelo produto das três dimensões ou no caso do cubo das três arestas iguais. Calcula-se:
     
     
    É necessário saber a aresta do cubo para se calcular a área da face do mesmo. Para resolver a raiz cúbica de um valor, basta perguntar, qual número multiplicado por ele mesmo três vezes resulta nesse valor? Deve-se saber, também que a raiz cúbica de um valor elevado ao cubo é o próprio valor. Calcula-se:
     
     
    Sabendo a aresta do cubo pode-se calcular a área da face (parede) e multiplicando por 6 tem-se a área total do cubo. Calcula-se:
     
     
    As seis faces do cubo totalizam uma área de 294 unidades de área. Sabe-se que a área de uma superfície quadrada é o produto das duas dimensões ( largura x comprimento). Resposta certa alternativa D.
     
    Marcelo, espero tê-lo ajudado em sua dúvida. Qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos, mande-nos em forma de outra dúvida.
     
    VEJA TAMBÉM:
     Volume de Prismas - Cubo
     Volume do Cubo - Regra de Três
     

    Física - Velocidade Angular

    24/06/2010 - Anônimo disse... 
     
    Qual é a velocidade angular de um corpo com 240 rotaçoes por minuto? Sendo que seu periodo é 0,25 s.
     
    01/07/2010 - CCDA RESOLVE

    Boa noite, Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-lo em sua dúvida que trata de movimento circular uniforme.

    É fácil, perceber que se o corpo tem 240 rotações por minuto ( 240 rpm ), com certeza terá um período de 0,25 s, uma vez que o período é o tempo gasto para completar uma rotação. Vê-se:
     
     
    Se a frequência do corpo em questão é 4 Hz, para se encontrar o período basta calcular o inverso da frequência. Tem-se:

    Desta forma, o período T deste movimento é 0,25 s. Para se calcular a velocidade angular basta multiplicar o ângulo de uma volta pale frequência do movimento. Vê-se:
     
     
    A velocidade angular deste movimento é dada pelo valor acima calculado.
     
    Espero tê-lo ajudado. Qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos, mande-nos em forma de outra dúvida. 
     
    VEJA TAMBÉM: 
    Física - Movimento Circular - Velocidade Angular 

      Matemática - Teoria dos Conjuntos - Diagrama de Venn-Euler


      24/06/2010 - PAULA ITO disse... 
       
      Numa pesquisa feita com 1000 famílias para verificar a audiência dos programas de televisão, os seguintes resultados foram encontrados: 510 famílias assistem ao programa A, 305 assistem ao programa B e 386 assistem ao programa C. Sabe-se ainda que 180 familias assistem aos programas A e B, 60 assistem aos programas B e C, 25 assistem a A e C e 10 assistem aos tres programas.
       
      a) Quantas familias nao assistem a nenhum desses programas?
      b)Quantas familias assistem somente ao programa A?
      c) Quantas familias nao assistem nem ao programa A nem ao programa B?
       
      Me ajudem por favor!? Obrigada!
       
      24/06/2010 - CCDA RESOLVE
       
      Paula, boa noite. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-la em sua dúvida que trata da teoria dos conjuntos, mais precisamente, do diagrama de Venn-Euler.
       
      Consideram-se os conjuntos: A para as famílias que assistem ao programa A, B para as famílias que assistem ao programa B e C para as famílias que assistem ao programa C. A intersecção dos conjuntos representam as famílias que assistem ambos os programas. 
       
      Começa-se o diagrama pela intercecção dos três conjuntos, colocando o número de famílias que assistem aos três programas no centro do diagrama. A partir desse passo, inserem-se os valores que completam o total de famílias que assistem a dois dos programas e, por fim, completam-se os valores de cada conjunto individualmente. Vê-se o diagrama de Venn-Euler:
       
       
      Explica-se o Diagrama de Venn-Euler:
       
      Conclui-se que 54 famílias das 1.000 entrevistadas, não assistem a nenhum dos programas. Percebe-se, facilmente, a seguinte Lei: 
      Paula, espero tê-la ajudado em sua dúvida. qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos, mande-nos em forma de outra dúvida.

      VEJA TAMBÉM:
      Diagrama de Venn-Euler
      Matemática - Conjuntos / Diagrama de Venn-Euler 

      Matemática - Produto de Frações

      15/06/2010 - Marcelo disse... 
      Bom dia, poderia me ajudar nesta questão?
      Tomando-se dois quintos de um valor, e desses dois quintos separam-se três oitavos, esses três oitavos correspondem a quem fração do valor inicial ?

      a) 7/16     b) 15/16     c) 3/20      d) 7/20       e) 15/32

      22/06/2010 - CCDA RESOLVE

      Boa noite, Marcelo. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-lo em sua dúvida que trata fração de um todo.
       
      Sabe-se que uma fração de um valor é traduzido pela matemática como o produto dessa fração por esse valor. Pergunta-se: Quanto é  três oitavos de dois quintos. Sendo assim, tem-se:
       
       
      O produto de frações segue o seguinte conceito multiplica-se os numeradores (valores acima do traço de fração) e multiplica-se os denominadores ( valores abaixo do traço de fração). O resultado obtido é uma fração redutível é necessário simplificar o numerador e o denominador por um divisor comum, tem-se:
       
       
      Agora sim, a fração foi simplificada por 2, divisor comum do denominador e do numerador. Três vinte avos é a fração do valor inicial obtida. 3/20 alternativa  C.
       
      Marcelo, espero tê-lo ajudado em sua dúvida. Qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos mande-nos em forma de outra dúvida.

      Matemática - Áreas - Equação do 1º Grau - Regra de Três

      14/06/2010 - Juliana disse...
       
      Boa tarde professor!!!
      Muito obrigada pela ajuda anterior, valeu mesmo!
      Mas tenho outras dúvidas .... se puder me ajudar de novo???
       
      Na compra de um terreno retangular, cuja medida do lado maior é igual ao triplo da medida do lado menor e que tem 80 metros de perímetro, cada m² custou R$ 200,00. Esse terreno foi comprado por????
       
      (A) R$ 48.000,00     (B) R$ 60.000,00    (C) R$ 68.000,00     (D) R$ 70.000,00      (E) R$ 75.000,00
       
      Esperarei anciosa pela ajuda ... Desde já agradeço

      Juliana, boa noite. Sou Reginaldo, Professor de Física e Matemática do CCDA, vou ajudá-la em sua dúvida que trada de áreas e equações do 1º grau.

      Esquematiza-se o problema utilizando como medida do lado menor o valor x, desta forma, o lado maior tem valor 3x. O perímetro do retângulo é o contorno do mesmo ou a soma dos lados. Através de uma equação do 1º grau tem-se:


      Agora, já se sabe o valor de cada lado do terreno, calcula-se a área do mesmo e através de uma regra de três encontra-se o valor pago pelo terreno.

      Sendo assim, a alternativa correta é (B) R$ 60.000,00.

      Juliana, espero tê-la ajudado, novamente. Qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos, mande-nos em forma de outra dúvida.

      Matemática - Porcentagem

      12/06/2010 - Maiara disse... 
       
      Água virtual é a quantidade de água gasta nos processos produtivos. Desse modo, ela está embutida nos produtos e nos serviços não apenas no sentido visível, físico; mas também no sentido “virtual”. É uma medida indireta dos recursos hídricos consumidos na produção de um bem. Por exemplo, em 2003, o Brasil exportou 1,3 milhão de toneladas de carne bovina e, dessa maneira, acabou também exportando 19,5 km³ de água virtual. Dados recentes da UNESCO dão conta de que o comércio global movimenta um volume anual de água virtual da ordem de 1 000 a 1 340 km³, sendo:
       
      67 % com o comércio de produtos agrícolas;
      23 % com o comércio de produtos animais;
      10 % com produtos industriais.
       
      (Adaptado de: http://www.sabesp.com.br/CalandraWeb/CalandraRedirect/?temp=5&proj=sabesp&pub=T&comp=Noticias&db=&DOCID=01DA58C98B0A62D7832571CA0046F76C Acesso em: 20.03.2009.) 
       
      De acordo com o texto, considerando o volume mínimo de água virtual relacionado ao comércio global de produtos animais, pode-se afirmar que, referente à exportação de água virtual proveniente da venda de carne bovina em 2003, a participação percentual do Brasil foi, aproximadamente, de
       
      (A) 8,5%.
      (B) 9,8%.
      (C) 10,5%.
      (D) 12,7%.
      (E) 13,4%.
       
      19/06/2010 - CCDA RESOLVE
       
      Maiara, boa noite, Sou Reginaldo, Professor de Física eMatemática do CCDA, vou ajudá-la em sua dúvida que trata de porcentagem.

      O problema quer saber o percentual de água virtual exportado pelo Brasil, no comércio de carne bovina. Atenta-se para o limite mínimo de 1.000 km³ de água virtual, como referência. Como a porcentagem desse limite para produtos de origem animal é de 23 %, tem-se:
      São 230 km³ de água virtual exportada em forma de produtos de origem animal no comércio mundial. Qual será o percentual desse total, que os 19,5 km³ de água virtual, contida na carne bovina exportada pelo Brasil, representa?

      A carne bovina brasileira representa aproximadamente 8,5 % do total de água virtual exportada no mundo tendo como referência os produtas animais.
       
      Maiara, espero tê-la ajudado em sua dúvida. Qualquer dificuldade no entendimento dos conceitos, mande-nos em forma de outra dúvida.

      PROVA ETEC - 2º SEMESTRE DE 2010

      Se você tiver interesse pelo comentário de alguma questão não resolvida desta prova, clique no link abaixo:
      REDE DE ESTUDO COLETIVO

      É pau, é pedra, é o começo do caminho...

      A prova de hoje propõe uma reflexão sobre as construções que nos cercam e com as quais interagimos. Esse tema foi escolhido, pois as obras arquitetônicas são um espelho da sociedade que as idealizou. A tecnologia, os sistemas de organização social, as necessidades práticas, os valores estéticos e as aspirações de uma comunidade, tudo está registrado na estrutura das construções. É a nossa história feita de madeira, vidro, pedras, metais...
      Para comprovar essa ideia, lembre-se de que, neste momento, você não está em sua casa, mas em uma edificação – chamada escola – que, com seus largos corredores, pátios e amplas salas, se caracteriza por ser um espaço social para a prática e a troca de conhecimentos entre as pessoas, a exemplo da realização deste vestibulinho que, esperamos, o leve a ser um aluno do Centro Paula Souza.

      Bom trabalho!
      (Graziella Mattar, Revista da Folha, 12.04.2009.)


      1. Em 1929, no bairro das Perdizes, na cidade de São Paulo, foi criado o Parque Dr. Fernando Costa, mais conhecido como Parque da Água Branca em razão da água límpida e clara provinda de lençóis freáticos, que jorrava de bebedouros em forma de boca de leão.
      A arquitetura é em estilo normando, o pórtico de entrada tem vitrais em estilo Art Déco, e os casarões dão um toque de fazenda. Além disso, as árvores octogenárias, os tanques de peixes e os pavões embelezam o local. O parque possui cerca de três mil espécies de vegetação e é considerado como um minipulmão dentro da floresta de concreto que é a cidade de São Paulo. Não se trata de uma reserva de mata nativa, mas de um parque totalmente implantado, desde a construção até a vegetação.
      ( http://www.parqueaguabranca.sp.gov.br  Acesso em:03.03.2010.)

      Em visita ao parque, um grupo de estudantes de uma ETEC listou os seguintes nomes de plantas observadas: figueiras, palmeiras, bambuzais, bromélias, samambaias, seringueiras, ciprestes, pitangueiras, orquídeas, musgos, coco-da-baía e
      avencas.

      Podemos afirmar que as plantas relacionadas pelos alunos apresentam em comum

      (A) a ausência de clorofila nas células das folhas.
      (B) a produção de sementes afim de garantir a reprodução.
      (C) a formação de flores coloridas para atrair agentes polinizadores.
      (D) o transporte da seiva por meio de vasos condutores especializados.
      (E) a formação de células sexuais diferentes que se unem formando os zigotos.

      Alternativa E.

      2. As cores com as quais se compõem os magníficos vitrais que ornamentam, por exemplo, catedrais famosas, podem ser obtidas a partir de misturas de pigmentos, durante o processo de fabricação dos vidros. Alguns exemplos são encontrados no quadro a seguir:


      As fórmulas apresentadas no quadro referem-se a

      (A) misturas homogêneas sólidas.
      (B) misturas heterogêneas líquidas.
      (C) misturas homogêneas líquidas.
      (D) substâncias compostas.
      (E) substâncias simples.

      D.A. RESOLVE


      As fórmulas apresentadas nos quadros referem-se á substâncias pura compostas, pois cada fórmula apresentada no quadro corresponde á apenas um único composto. Porém os compostos são formados por mais de um tipo de átomo:

      MnO2 - é formado por átomos de manganês e oxigênio
      CO2O2 – é formado por átomos de cobalto e oxigênio
      Cr2O3 – é formado por átomos de cromo e oxigênio

      Alternativa D

      3. Na década de 1940, surgiu um ditado que se tornaria célebre: “São Paulo, a cidade que mais cresce no mundo”. Não se tratava de mero ufanismo; estatísticas da época demonstraram que a cada duas horas surgia um novo edifício. A cidade contava com quatro mil fábricas, possuía doze bibliotecas, dez estações de rádio e setenta casas de espetáculos entre cinemas e teatros.
      (Revista Cidade n°4. São Paulo: DPH, 1996. Adaptado)

      As transformações pelas quais a cidade de São Paulo passou, naquele período, podem ser historicamente compreendidas como

      (A) parte importante de uma política nacional industrialista, que buscava diversificar os padrões anteriores, calcados na economia agrícola.
      (B) resultado dos investimentos dos barões do café, cujos negócios estavam muito lucrativos, gerando capital para aplicar em outras atividades.
      (C) consequência do projeto de investimentos dos EUA, nos países pobres, em troca de apoio às suas tropas durante a Segunda Guerra Mundial.
      (D) parte do processo de democratização pelo qual o Brasil passava devido ao governo Vargas, ampliando o acesso à cultura e ao lazer.
      (E) manifestação da superioridade econômica e política das elites oligárquicas paulista e mineira, durante a política do “Café-com-leite”.

      D.A. RESOLVE

      O processo de industrialização brasileiro (não confundir com “surto industrial”) iniciou-se na década de 1930, durante a chamada “Era Vargas” (1930-1945). Neste período, São Paulo conheceu um crescimento extraordinário.

      Alternativa A. 

      4. As grandes construções necessitam de enormes quantidades de matéria-prima. O mármore, o granito, o calcário, o arenito e o basalto são alguns exemplos de rochas utilizadas em grande escala pela construção civil, desde as estruturas até os revestimentos e acabamentos.
      Assinale a alternativa que contenha, correta e respectivamente, uma dessas rochas mencionadas, o seu respectivo tipo rochoso e a descrição de seu processo geológico criador.

      D.A. RESOLVE

      O mármore é uma rocha metamórfica originada de calcário exposto a altas temperaturas e pressão. A referida rocha é utilizada para acabamentos em residências mais sofisticadas, uma vez que apresentam elevado custo por m².

      Alternativa A.

      5. As doenças profissionais e os acidentes de trabalho constituem um grande problema de saúde pública. Existem registros históricos de que há cerca de dois mil anos, trabalhadores já utilizavam máscaras para se proteger das poeiras produzidas pelo corte de arenito e de granito, pedras muito utilizadas em construções. A mais antiga e grave doença ocupacional conhecida ocorre em indivíduos que trabalham em atividades que envolvem a utilização de jatos

      (A) artrite reumatoide.
      (B) arritmia cardíaca.
      (C) silicose.
      (D) dislexia.
      (E) osteopenia.

      Alternativa C.

      Leia o texto para responder às questões 6 e 7.

      No século XXI, a construção civil passou a uma nova fase com a utilização dos tijolos ecologicamente corretos, que não precisam de queima, diferentemente dos feitos de argila que, depois de moldados, são queimados em grandes fornos, consumindo madeira e poluindo o ambiente.
      Os tijolos ecológicos podem ser feitos, por exemplo, de uma mistura de solo e cimento, devidamente umedecida e submetida à prensa manual, proporcionando a uma maior parte da população o acesso a moradias dignas e de baixo custo, uma vez que as pessoas podem fabricar os próprios tijolos que irão aplicar na construção de suas residências.

      6. A substituição das casas de pau-a-pique por outras feitas com tijolos ecológicos é também um importante passo na profilaxia de uma das maiores endemias brasileiras, que atinge principalmente as populações carentes das zonas rurais.

      Sobre essa endemia, assinale a alternativa que apresenta, corretamente, seu agente transmissor e os principais sintomas que acometem uma pessoa contaminada.

      D.A. RESOLVE

      Alternativa E.

      7. O prédio de uma ETEC está sendo construído com tijolos ecológicos. O construtor sabe que precisa de 45 tijolos por metro quadrado e que consegue produzir 1 200 tijolos por dia.
      Para construir quatro paredes retangulares, sabendo-se que cada uma tem 3 m de altura e 5 m de comprimento, são necessários N dias para a produção dos tijolos. Assim,










      D.A. RESOLVE

      O primeiro passo é calcular a área de cada uma das paredes e depois multiplicar por 4, uma vez que, todas são iguais. Encontra-se, desta forma, a superfície total a ser construída. Calcula-se:


      sabe-se, então, que a área da superfície total a ser construída é 60.
      O segundo passo é calcular quantos tijolos são necessários para construir 60 de paredes, para isso, utiliza-se a regra de três simples. Calcula-se:


      Sabe-se, então, que serão precisos 2700 tijolos para realizar a construção.
      O terceiro passo é descobrir quanto tempo, em dias, é necessário para que se produza os tijolos. Utiliza-se, novamente uma regra de três para se calcular o valor N. Calcula-se:


      São necessários 2,25 dias para produzir os tijolos para a construção, este valor está entre 2 e 3.

      Alternativa B.

      Leia o texto para responder às questões 8, 9 e 10.

      O ferro raramente é encontrado livre na crosta terrestre e sim associado a outros elementos químicos constituindo um minério.
      Para extrair o ferro de seu minério é usado um equipamento chamado alto-forno, no qual são introduzidos a hematita (um tipo de minério de ferro), o coque (constituído principalmente por carbono) e ar quente, que é injetado por aberturas existentes na base do alto-forno.
      A queima do coque libera energia térmica elevando a temperatura até cerca de 1 500ºC e produz monóxido de carbono, que irá interagir com o minério para formar o ferro-gusa.
      O ferro-gusa é empregado na produção de aço, que é um material essencial aos vergalhões utilizados na construção civil.
      No alto-forno também é introduzido calcário cuja função é extrair as impurezas do minério de ferro, principalmente a areia, formando um material chamado escória, o qual é usado na produção de cimento e de tijolos especiais e na pavimentação de rodovias.

      (Fontes: Caderno de Química. São Paulo: SE, 2008. Interações e Transformações I. GEPEQ. São Paulo: EDUSP, 1999. Adaptados)


      8. Pela leitura do texto, conclui-se que na produção do ferro-gusa,

      (A) o coque, além de ser matéria-prima, é o combustível utilizado no alto-forno.
      (B) a maior quantidade do ferro encontrado na natureza está sob a forma metálica, isto é, puro.
      (C) a escória é o resíduo formado no alto-forno e não apresenta nenhum interesse comercial.
      (D) a hematita, o monóxido de carbono e a escória são as matérias-primas introduzidas no alto-forno.
      (E) para aquecer o alto-forno é consumida grande quantidade de energia elétrica, tornando o processo caro.

      D.A. RESOLVE


      Matérias primas são compostos que reagem para formar os produtos (compostos finais de uma reação). Para que uma reação aconteça é necessário fornecer energia inicial no sistema. Na reação apresentada o coque além de ser um composto inicial que reage (matéria prima), também é responsável pelo fornecimento inicial de energia no sistema. 


      Alternativa A.

      9. A transformação química de obtenção de ferro-gusa pode ser representada por meio da equação química:


      Sabendo que uma equação química sempre deve apresentar a conservação do número de átomos, determine quais os coeficientes que preenchem, correta e respectivamente, os espaços pontilhados da equação química citada.

      (A) 1; 1; 1.    (B) 1; 2; 2.    (C) 1; 2; 3.     (D) 2; 2; 2.       (E) 2; 2; 3.

      D.A. RESOLVE


      A transformação química apresentada para formação do ferro-gusa é uma reação do tipo oxirredução. Os elementos que apresentam variação de nox são o Ferro (Fe) e o Carbono (C).
      Para balancear a reação é preciso calcular a quantidade de elétrons tranferidos de um elemento para o outro conforme o calculo abaixo:


      O nox do elemento Ferro presente na Hematita é +3 enquanto o nox do Ferro presente no Ferro gusa é 0, portanto a variação de nox do Ferro foi de 0 - (+3) = -3 (representado por 1).

      O nox do elemento Carbono presente no Monóxido de Carbono é +2 enquanto o nox do Carbono presente no Dióxido de Carbono é +4, portanto a variação de nox do Carbono na reação foi de +4 - (+2) = +2 (representado por 2).

      Para balancear a reação devemos multiplicar as variações de nox dos elementos pela quantidade de átomos que existe na fórmula (sempre considerar o composto com maior quantidade de átomos em que ocorre a variação de nox)


      Simplificando e trocando os valores encontrados, para igualar as transferências de elétrons:


      Os valores encontrados deverão ser substituídos também nos compostos com maior quantidade de átomos em que ocorre a variação de nox.




      Para que a quantidade de átomos seja igual no início e no fim da reação, obtemos:





      Alternativa C.

      10. Imagine que você é o químico responsável pela produção de ferro-gusa que será empregado na obtenção do aço para os vergalhões de uma ponte.
      Sabendo que para se obterem 22,4 toneladas ( t ) de ferro-gusa são necessárias 32,0 t de hematita e 7,2 t de coque, você conclui que, para a produção de 67,2 t de ferro-gusa, as massas de hematita e de coque serão, respectivamente, em toneladas,

      (A) 64,0 e 3,6.
      (B) 64,0 e 14,4.
      (C) 96,0 e 14,4.
      (D) 96,0 e 21,6.
      (E) 192,0 e 21,6.

      D.A. RESOLVE

      O primeiro passo é calcular quantas toneladas de hematita são necessárias para produzir 67,2 toneladas de ferro-gusa. Para se calcular essa massa de hematita utiliza-se uma regra de três simples e as grandezas são diretamente proporcionais. Calcula-se:


      Para se produzir 67,2 toneladas de ferro-gusa são necessárias 96 toneladas de hematita.
      O segundo passo é calcular quantas toneladas de coque serão necessárias. O processo é o mesmo, calcula-se:


      Para produzir 67,2 toneladas de ferro-gusa são necessárias 21,6 toneladas de coque.

      Alternativa D.

      CONSIDERE AS INFORMAÇÕES PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES 11 E 12.

      O revestimento do piso de um ambiente, com a utilização de tacos de madeira, pode ser feito formando desenhos que constituam um elemento decorativo para o local.
      Combinando apenas tacos com as formas apresentadas a seguir, pode-se criar o desenho, conforme a figura 1, que será utilizado para cobrir o piso desse ambiente.



      11. Sabendo que a soma dos ângulos internos de um quadrilátero é igual a 360°, pode-se concluir que a medida do ângulo α, assinalado na figura 1, é

      (A) 105°.     (B) 120°.    (C) 135°.      (D) 150°.       (E) 175°.

      D.A. RESOLVE

      O primeiro passo é analisar o taco com formato de trapézio da figura inicial.


      Calcula-se:

      Sendo assim, o ângulo procurado vale 135°.

      Alternativa C. 

      12. Um arquiteto vai construir uma casa e pretende revestir o piso da sala, que é retangular, com o desenho da figura 1, de modo que no piso caiba apenas o desenho inteiro, isto é, sem cortes e repetido várias vezes nas duas dimensões, conforme a figura 2.

      Nestas condições, as dimensões do piso dessa sala podem ser


      (A) 8,40 m x 5,25 m.
      (B) 6,30 m x 5,04 m.
      (C) 3,50 m x 7,00 m.
      (D) 2,10 m x 4,75 m.
      (E) 1,75 m x 6,00 m.




      D.A. RESOLVE

      O primeiro passo é identificar o comprimento das dimensões do desenho estabelecido para o piso da sala. Vê-se:


      Sabe-se, então, que o desenho tem 42 cm nas suas duas dimensões, trata-se de um quadrado de 42 cm de lado.
      Para que o piso da sala possua, somente, desenhos inteiros é necessário que as dimensões desse piso sejam múltiplos das dimensões do desenho. Desta forma, o segundo passo é construir o conjunto dos múltiplos de 42. Tem-se:


      Percebe-se, facilmente, que 504 cm e 630 cm são múltiplos de 42 cm e correspondem a 5,04 m e 6,30 m. Uma vez que 1 m tem 100 cm. Calcula-se:


      A sala de ser retangular com dimensões de 6,30 m X 5,04 m.

      Alternativa B. 

      13. Assinale a alternativa cujas palavras completam, correta e respectivamente, o texto a seguir.

      Na ___________ de pisos e azulejos, o responsável pela obra comprará o material necessário para a ______________ da área danificada pelas enchentes. Devido a esse imprevisto, o _______________ do prazo estabelecido para a entrega do edifício está comprometido.

      (A) sessão ... retificação ... cumprimento
      (B) sessão ... ratificação ... comprimento
      (C) secção ... ratificação ... cumprimento
      (D) seção ... ratificação ... comprimento
      (E) seção ... retificação ... cumprimento

      D.A. RESOLVE

      Como o responsável por uma obra irá a uma loja comprar material necessário, deverá procurar o local (seção) de venda de pisos e azulejos, para que sejam feitos os devidos reparos (retificação). Pelo deslocamento e tempo dedicado a esta compra, haverá um atraso no desenvolvimento da obra, assim o cumprimento do prazo não será mantido, ou seja, não haverá a entrega dentro do prazo estabelecido.
      Não poderão ser preenchidos espaços com secção, pois esta palavra significa corte, (e também uma variação de seção), nem com a palavra sessão que corresponde a um  espaço de tempo dedicado ao entretenimento cultural, em cinema, teatro,  ou de uma reunião, de um trabalho, de um congresso, ...
      Também, não poderão ser empregadas as palavras ratificação que significa concordância, acordo.
      A palavra comprimento significa medida.

      Alternativa E.

      14. A cal viva, um importante material empregado nas construções, é obtida a partir da decomposição térmica do calcário, em temperaturas superiores a 900ºC. Esse processo é chamado calcinação e pode ser representado por:

      Na construção civil, a cal é utilizada principalmente sob a forma de cal hidratada, componente fundamental das argamassas empregadas, por exemplo, no assentamento de tijolos.
      O processo de hidratação da cal pode ser representado por:


      (Caderno de Química. São Paulo: SE, 2008. Adaptado)

      Em relação ao texto, é válido assinalar sobre esses processos que

      (A) a calcinação e a hidratação são exemplos de fenômenos físicos.
      (B) a calcinação e a hidratação são exemplos de fenômenos químicos.
      (C) a calcinação e a hidratação são exemplos de fenômenos biológicos.
      (D) a calcinação é um fenômeno químico, e a hidratação é um fenômeno físico.
      (E) a calcinação é um fenômeno químico, e a hidratação é um fenômeno biológico.

      D.A. RESOLVE


      Os dois processo apresentados são exemplos de reações químicas, que pode ser facilmente notado, pois na reação de calcinação há absorção de calor e liberação de gás carbônico e na reação de hidratação do cal há liberação de calor.


      Alternativa B.

      15. Considere as construções apresentadas a seguir:











      Figura 1
      Arco do Triunfo romano
      (81 d.C.), idealizado pelo
      Imperador Tito.













      Figura 2
      Arco do Triunfo francês
      (1836), idealizado por
      Napoleão.


      (Google Imagens. Acesso em: 17.04.2010.)

      A respeito das construções apresentadas, é válido afirmar que

      (A) as imagens apresentam um tipo de construção bastante comum na Europa medieval, pois expressam a união dos imperadores com a Igreja.
      (B) ambos os arcos foram construídos com uma finalidade prática, qual seja, a de distribuir água aos habitantes de regiões distantes dos rios e represas.
      (C) a arquitetura das duas obras apresentadas é a mesma, o que permite concluir que não houve transformações sociais significativas entre os dois períodos.
      (D) o arco do triunfo foi um tipo de construção muito comum desde a Antiguidade, pois representava um local de culto aos deuses e deusas de Roma.
      (E) as duas obras comprovam o uso da arquitetura monumental por governantes expansionistas, que visavam à divulgação de seus feitos junto à população.

      D.A. RESOLVE

      Tratam-se de duas construções arquitetônicas ligadas a governos imperialistas feitas em diferentes momentos históricos: O Império Romano e o Império Napoleônico. Ambas com o sentido de exaltar as conquistas militares.

      Alternativa E. 

      16. Na década de 1960, o desenvolvimento econômico alcançou a República da China (mais conhecida como Taiwan ou Formosa), a partir de investimentos estrangeiros, principalmente japoneses e americanos. O país teve altas taxas de crescimento durante décadas, o que se refletiu, por exemplo, no incremento das construções nas cidades de Taipei e Kaohsiung. Junto com a Coréia do Sul, Cingapura e Hong Kong, Taiwan compõe

      (A) os Tigres Asiáticos.
      (B) o Bloco Econômico ASEAN.
      (C) a Liga Asiática de Comércio.
      (D) a República Popular da China.
      (E) a Zona Franca da Microeletrônica.

      D.A. RESOLVE

      O texto faz referência aos quatro membros dos Tigres Asiáticos: Taiwan, Coréia do Sul, Cingapura e Hong Kong.

      Alternativa A.

      17. O edifício Taipei 101 é um ícone de Taiwan e combina tradição e modernidade. Suas características de segurança permitem-lhe suportar tufões e terremotos, que são frequentes nessa região. O edifício possui 61 elevadores, sendo dois de ultravelocidade. Sabendo que um desses elevadores de ultravelocidade sobe, do térreo até o 89º andar percorrendo 380 metros em 40 segundos, conclui-se que a sua velocidade média vale, em m/s,

      (A) 4,7.
      (B) 7,2.
      (C) 9,5.
      (D) 12,2.
      (E) 15,5.




      D.A RESOLVE

      O primeiro passo é relembrar o conceito de velocidade média. O deslocamento de um móvel na unidade de tempo é chamado velocidade média. Para se obter a velocidade média do elevador, basta, calcular a razão entre seu deslocamento e o tempo gasto para concluí-lo. Vê-se:


      O elevador de ultravelocidade possui velocidade média de 9,5 m/s.

      Alternativa C.


      18. Pela associação de roldanas fixas e móveis e uso de alavancas, podemos levantar cargas de pesos muito grandes que estão acima de nossa capacidade muscular. Por isso encontramos, com frequência, sistemas de roldanas sendo utilizados em canteiros de obras de construção civil. Esse recurso tem permitido a construção de edifícios cada vez maiores como o BurjDubaiSkyscraper, em Dubai.











      A seguir, são apresentadas duas situações de equilíbrio estático: uma envolvendo uma roldana fixa e outra envolvendo uma alavanca interfixa.


      Analise as duas situações e assinale a alternativa que contém, respectivamente para cada situação, a razão entre o módulo do peso Q da carga e o módulo da força aplicada F, isto é |Q| / |F|













      D.A RESOLVE

      O primeiro passo é analisar as figuras utilizando a 3ª Lei de Newton para a figura 1 e o princípio das alavancas (momento de força) para a figura 2. Tem-se:




      O segundo passo é calcular a razão entre os módulos de Q e F para, ambas as situações:


      Alternativa A.

      Leia o texto para responder às questões 19, 20 e 21.

      Você já pensou em passar a noite em uma geladeira ou dormir sobre uma grande pedra de gelo? Apesar de essa ideia ser assustadora, já existem hotéis feitos de gelo que são como imensos iglus. O primeiro hotel de gelo do mundo, o Ice, fica na Suécia. Esse hotel possui paredes, camas, mesas e tudo o que existe em um hotel normal, só que de gelo. Não há como não se impressionar. A inusitada construção é branca, transparente e costuma durar apenas o período do inverno, porque depois o gelo se derrete.

      19. Ao se hospedar em um hotel de gelo, é importante evitar a hipotermia, isto é, a perda excessiva de calor do corpo para o ambiente. 
      Quando as temperaturas externas estão muito baixas, os vários mecanismos de defesa, que o corpo já possui para manter a temperatura corpórea, são insuficientes, por isso é necessário, entre outras coisas, o uso de sacos de dormir especiais e de camas cobertas com peles.
      Entre os vários mecanismos naturais do corpo humano que agem evitando a perda do calor corporal, destaca-se

      (A) o aumento da produção de suor.
      (B) o aumento dos batimentos cardíacos.
      (C) a estimulação hipotalâmica dos calafrios.
      (D) a vasodilatação cutânea em todo o corpo.
      (E) a excitação simpática da produção de gordura subcutânea.

      D.A. RESOLVE

      20. Numa noite, verificou-se que a temperatura externa era muito mais baixa que a temperatura do interior do hotel Ice.
      A diferença de temperatura entre o interior do hotel e seu exterior se deve ao fato de o gelo apresentar um valor baixo para

      (A) o calor específico.
      (B) a capacidade térmica.
      (C) o coeficiente de atrito.
      (D) o coeficiente de dilatação térmica.
      (E) a constante de condutibilidade térmica.

      D.A. RESOLVE

      Materiais bons condutores térmicos possuem alta constante de condutibilidade térmica, já os materiais isolantes térmicos (maus condutores térmicos) possuem baixa constante de condutibilidade térmica.
      O gelo possui baixa constante de condutibilidade térmica, desta forma, o calor calor dentro do Hotel Ice encontra dificuldade de trânsito para o lado externo, mantendo a temperatura interna do Hotel.

      Alternativa E.

      21. Em 2009, Raquel, aluna de uma das ETECs, hospedou-se no hotel Ice. Naquela noite, observou que o termômetro marcava, na escala Fahrenheit ( °F ), para a temperatura externa, −32 °F e, para a interna do hotel, 23 °F. Curiosa, Raquel resolveu calcular, em graus Celsius ( °C ), essas temperaturas.
      Sabendo que, para a água, o ponto de gelo é 0 °C ou 32 °F e que o ponto de vapor é 100 °C ou 212 °F, Raquel concluiu que a temperatura externa do hotel e a temperatura interna valiam, respectivamente, em graus Celsius:













      D.A. RESOLVE


      Estabelece-se uma relação entre as escalas termométricas Celsius e Fahrenheit. Utiliza-se a função obtida para calcular as temperaturas em °C.



      A temperatura externa ao Hotel Ice é -35,5 °C e a interna é -5 °C. 

      Alternativa A


      22. As vias de transporte entre a França e a Grã-Bretanha ganharam reforço com a construção do Eurotúnel, concluído em 1994, através de investimentos privados de cerca de 200 bancos e 600 mil acionistas. Com cerca de 50 km de extensão, ele é uma das maiores e mais complexas obras de engenharia do século XX.
      A respeito do Eurotúnel, é válido afirmar que ele

      (A) atravessa o Canal do Mar Báltico, por cima da superfície do oceano, ligando duas regiões industriais através de uma rodovia e de uma linha férrea.
      (B) é uma obra que tem sofrido grandes abalos estruturais, o que causa inúmeros acidentes no transporte, pondo em risco a vida da população.
      (C) atravessa o Estreito de Gibraltar, ligando boa parte dos países da União Europeia através de uma linha de metrô de alta velocidade.
      (D) é uma obra de engenharia muito cara e que tem sido a causa de grandes crises nas contas públicas do Mercado Comum Europeu.
      (E) é uma obra que facilita a circulação e as relações comerciais entre países dos mais desenvolvidos da União Europeia.

      D.A. RESOLVE

      O Eurotúnel atravessa o canal da mancha ligando a Inglaterra à Europa continental (França), sendo uma importante via de transporte comercial localizada na Europa.

      Alternativa E.

      Leia o texto para responder às questões 23, 24 e 25.

      Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEL), o Brasil está entre os cinco maiores produtores de energia hidrelétrica no mundo, possuindo atualmente 158 usinas de grande porte. A energia hidrelétrica é produzida pela passagem de água por turbinas, e este tipo de geração de energia, embora menos poluente, não deixa de causar impactos negativos sobre o ambiente pois, muitas vezes, é necessário desviar cursos de rios, alagando regiões, o que provoca alterações na paisagem e na vida dos habitantes da região.

      23. O represamento da água nas usinas pode gerar o processo de eutrofização, que se manifesta quando ocorre

      (A) diminuição da diversidade e da densidade de algas, em função da redução da quantidade de nutrientes.
      (B) decomposição química dos detritos orgânicos, que tem como consequência direta o aumento expressivo da produção de oxigênio.
      (C) aumento da quantidade de matéria orgânica, ultrapassando a capacidade de decomposição do sistema, o que provoca uma quebra do equilíbrio ecológico.
      (D) grande proliferação de bactérias anaeróbias, que consomem todo o nitrogênio existente na água causando a morte, por asfixia, da maioria dos seres vivos do ambiente.
      (E) produção de gases, resultante da atividade de bactérias aeróbias, entre os quais estão os gases sulfídrico e metano, benéficos para a maioria dos organismos aquáticos.

      D.A. RESOLVE

      A eutrofização é o fenômeno causado pelo excesso de nutrientes (compostos químicos ricos em fósforo ou nitrogênio) numa massa de água, provocando um aumento excessivo de algas. Isto provoca uma queda na qualidade da água e um desequilíbrio no econssistema.

      Alternativa C.

      24. Na construção das barragens das usinas hidrelétricas são utilizadas grandes quantidades de concreto. Essas barragens têm como função represar a água para que esta adquira energia potencial. No conjunto formado pela turbina e pelo gerador,ocorre a conversão de

      (A) energia potencial em energia elétrica.
      (B) energia térmica em energia cinética.
      (C) energia cinética em energia elétrica.
      (D) energia elétrica em energia potencial.
      (E) energia potencial em energia radiante.

      D.A. RESOLVE

      A turbina recebeu energia cinética das águas represadas, o movimento da turbina aciona o eixo do gerador e o giro do induzido envolto em um campo magnético produz energia elétrica nos fios enrolados no mesmo.

      Alternativa C

      25. Suponha que uma usina hidrelétrica do porte de Itaipu funcione com toda a sua capacidade instalada, que é de 12 000 MW. Nessas condições, podemos dizer que, em duas horas de funcionamento, ela produz energia suficiente para abastecer, em um mês, N casas que consomem, em média, 400 kWh por mês.
      Conclui-se que o valor de N é

      (A) 20 mil.
      (B) 35 mil.
      (C) 45 mil.
      (D) 60 mil.
      (E) 75 mil.


      D.A. RESOLVE

      O Primeiro passo é transformar 12.000 MW em kW. Percebe-se pelo lembrete acima que:


      O segundo passo é utilizar o conceito de potência para calcular a energia gerada pela usina Itaipu em 2 horas. Tem-se:


      Esta quantidade de energia é suficiente para abastecer N casas que gastam em média 400 kWh. O terceiro passo é calcular o número de casas abastecidas por 2 horas de trabalho de Itaipu. Tem-se:


      O número de casas abastecidas, pela usina Itaipu é 60 mil.

      Alternativa D

      26. No ano de 2010, o Brasil comemora os 50 anos da cidade de Brasília, construída no governo Juscelino Kubitschek. A capital federal, fruto de um arrojado projeto arquitetônico, é um dos símbolos mais importantes do país.
      Leia atentamente o texto retirado de um jornal à época da inauguração e, a seguir, assinale a alternativa mais coerente com a história da fundação de Brasília.


      (A) A construção de Brasília só foi possível graças à política do Estado Novo, que em parceria com o capital dos EUA, investiu no seu projeto e na sua execução.
      (B) N a década de 1960, a construção de Brasília representou uma ameaça aos valores das elites nacionais, dando origem ao golpe militar em 1964.
      (C) O regime militar instalou a capital em Brasília para garantir que os movimentos sociais de esquerda ficassem afastados da sede do governo.
      (D) A inauguração de Brasília foi um fator fundamental para a independência política do país, que vinha sendo ameaçada por movimentos comunistas.
      (E) A construção de Brasília foi uma das expressões mais relevantes da política desenvolvimentista, que pretendia acelerar o crescimento econômico do país.

      D.A. RESOLVE

      O governo Juscelino Kubistchek caracterizou-se pelo chamado nacional desenvolvimentismo, que buscava o desenvolvimento econômico e social do país. O principal símbolo da política desenvolvimentista de JK foi a construção de Brasília.

      Alternativa E.

      27. Leia o texto e complete as lacunas com as palavras adequadas.

      A construção do espaço e as etapas da industrialização brasileira

      As Revoluções Industriais constituem uma das bases fundamentais para todo tipo de construção moderna, tais como prédios, estradas, viadutos, estádios e sistemas de esgoto. Tornam-se, assim, uma alavanca para a urbanização e a produção dos espaços nacionais.
      Enquanto a industrialização moderna, na Europa, teve início por volta de 1750, o primeiro surto industrial no Brasil data aproximadamente de 1880. Nesse primeiro momento, predominava no Brasil a indústria de bens .......(I)......., tais como a de produtos têxteis e alimentícios.
      Numa segunda etapa, entre 1930-1954, a industrialização brasileira toma impulso por meio de um processo conhecido como .......(II)......., através do qual mercadorias estrangeiras eram estimuladas a serem produzidas internamente, por meio de políticas comerciais favoráveis ao nosso país.
      Nesta etapa, foi implantada uma parte da chamada indústria de bens .......(II)......., importantíssima para a urbanização e para a continuação da industrialização.

      Na próxima etapa, entre 1955-1980, há uma forte entrada de capital estrangeiro através de indústrias da Segunda Revolução Industrial, tais como as dos setores ........(IV)........ .


      D.A. RESOLVE

      As primeiras indústrias brasileiras estavam voltadas para a produção de bens não duráveis. Posteriormente – a partir da década de 1930 – iniciou-se o processo de industrialização voltado para a substituição de importações. Que ocorreu juntamente com pesados investimentos estatais da indústria de base, com vistas a fornecer a infra-estrutura necessária para o desenvolvimento do parque industrial brasileiro. A partir da década de 1950, houve uma forte abertura da economia brasileira ao capital estrangeiro com a entrada maciça de multinacionais no país, sobretudo no setor automobilístico e elétrico.

      Alternativa E.

      28. As construções custam caro e geram dívidas. De uma casa para um país, o salto é enorme. O crescimento econômico do Brasil quase sempre foi sustentado com base em endividamentos do Estado e das empresas privadas. Assim, a construção de infraestrutura urbano-industrial, além do financiamento da produção e do consumo, dependeu basicamente de empréstimos de curto, médio e longo prazos. Deste modo, foram construídas obras como a usina hidrelétrica de Itaipu, a termonuclear de Angra dos Reis, a ponte Rio-Niterói e a rodovia Transamazônica. A economia precisava crescer para poder pagá-las.
      Depois dos anos do chamado “Milagre econômico” (1967-74), em plena ditadura militar, a dívida que era de 5 bilhões de dólares pulara para 20 bilhões, em 1975. Na hiperinflação dos anos 1980, a dívida chegou na casa dos 100 bilhões de dólares, alcançando 129 bilhões em 1995. Novos empréstimos pagavam os antigos empréstimos, numa bola de neve crescente.
      Hoje, a dívida externa total está estimada em cerca de 200 bilhões de dólares, embora o país tenha crescido e criado, na última década, reservas internacionais positivas em torno de 240 bilhões. Um fato considerável – o que não significa que superamos a má distribuição de renda e a falta de cidadania para a maioria dos brasileiros.

      (Fontes: ADAS, Melhem. Panorama geográfico do Brasil. São Paulo: Moderna, 1999, e BANCO CENTRAL DO BRASIL, http://www.bcb.gov.br Acesso em: 08.03.2010.)

      Assinale a alternativa que contenha uma conclusão válida sobre o texto.

      (A) As dívidas do país foram crescendo até os anos 2000, momento em que há uma virada e uma retomada do antigo crescimento sem dívidas.
      (B) O Estado nacional cresceu historicamente com base na hiperinflação e nos gastos com o setor de serviços, o que garantiu nossa independência econômica.
      (C) A economia nacional cresceu com base em dívidas, mas não promoveu igualitariamente o desenvolvimento social e a melhoria da vida da maioria da população.
      (D) O crescimento das dívidas e dos empréstimos dificulta o crescimento da economia do país, que se torna, assim, muito pouco industrializado e não desenvolvido.
      (E) O Brasil, desde os anos 1960, cresceu economicamente e, assim, eliminou a sua condição de país agrário exportador e subdesenvolvido.

      D.A. RESOLVE

      O texto faz referência ao modelo econômico implantado pela ditadura militar brasileira. Tendo como objetivo a modernização industrial e o crescimento econômico, este modelo baseou-se em vultosos empréstimos externos (provocando um gigantesco aumento da dívida externa brasileira) e em políticas de arrocho salarial, tendo como resultado um aumento significativo da concentração de renda e uma piora na qualidade de vida da maioria da população. Nos anos 1980 o modelo entrou em colapso, gerando grave crise que perdurou mesmo após o fim da ditadura militar.

      Alternativa C.

      29. O Índice Nacional da Construção Civil (SINAPI), calculado mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em convênio com a Caixa Econômica Federal, tem como objetivo informar custos e índices de forma sistematizada e com abrangência nacional, visando à elaboração e à avaliação de orçamentos, como também ao acompanhamento de custos.
      (http://www.ibge.gov.br Acesso em: 12.03.2010. Adaptado)

      Os gráficos do IBGE, a seguir, mostram o custo médio do metro quadrado construído, no Brasil, de setembrode 2009 a fevereiro de 2010.


      Com base nos dados apresentados nos gráficos, pode-se afirmar que

      (A) a maior variação percentual ocorreu no mês de janeiro de 2010.
      (B) em dezembro de 2009, o custo do metro quadrado foi de R$ 712,50.
      (C) no mês em que a variação percentual foi de 0,43%, o custo médio do metro quadrado foi de R$ 719,37.
      (D) no mês em que o custo médio do metro quadrado foi de R$ 719,37, houve uma variação percentual de 0,42%.
      (E) de setembro de 2009 a fevereiro de 2010, a variação percentual do custo médio do metro quadrado foi sempre crescente.

      D.A. RESOLVE


      (A) a maior variação percentual ocorreu em dezembro de 2009 e não em janeiro de 2010.
      (B) em dezembro de 2009 0 custo do metro quadrado é R$ 716,34 e não R$ 712,50.
      (C) no mês em que a variação percentual foi de 0,43 % (fevereiro) o custo do metro quadrado foi de R$ 722,47 e não R$ 719,37.
      (D) no mês em que o custo médio do metro quadrado foi de R$ 719,37 (janeiro), houve uma variação percentual de 0,42 %. Verdadeiro.
      (E) de setembro de 2009 a fevereiro de 2010, a variação percentual do custo médio do metro quadrado não foi sempre constante.


      Alternativa D

      30. O pensador Friedrich Engels, que viveu entre 1820 e 1895, foi testemunha de muitas transformações ocorridas na Europa de seu tempo.
      Leia a seguir um de seus relatos:


      Refletindo sobre o episódio narrado por Engels e considerando as interpretações do autor sobre a Inglaterra, no período da Revolução Industrial, é válido afirmar que

      (A) a precariedade das moradias operárias é compreendida por Engels como evidência de que o capitalismo está no fim.
      (B) os bairros operários apresentam péssimas condições, porque a riqueza gerada pelo sistema capitalista é acumulada pela burguesia.
      (C) os moradores dos bairros operários ganham bons salários, apesar da simplicidade e da precariedade de suas habitações.
      (D) os bairros operários se mantêm na pobreza, porque seus habitantes estão indiferentes e não lutam por melhorias.
      (E) o preconceito da burguesia contra os moradores dos bairros operários tem sua origem no pensamento de Engels.

      D.A. RESOLVE

      No texto citado, Engels chama atenção para a indiferença de um burguês frente à extrema miséria dos bairros operários. O resultado da produção industrial tem consequências antagônicas: para os operários traduz-se em miséria, para os burgueses traduz-se em riqueza.

      Alternativa B.


      31. No mundo, cerca de um bilhão de pessoas mora em situações inadequadas.
      No Brasil, uma pesquisa do Ministério das Cidades afirma que 12,4 milhões de brasileiros moram em “assentamentos precários”, que incluem favelas e cortiços. Atualmente, uma das soluções políticas mais comuns para esse problema tem sido a chamada “urbanização de favelas”, que implica em uma série de novas construções.
      (Mundo Estranho, Abril Cultural, agosto de 2009. Adaptado)



      Avalie se são apropriadas as seguintes propostas para a urbanização de favelas.

      I. Melhoria das habitações, principalmente a partir da eliminação de barracos de madeira, que apresentam pouca ventilação e luz natural.
      II. Acesso a serviços públicos como pavimentação, iluminação, saneamento básico, escolas, creches, postos de saúde, praças e centros de lazer.
      II. Regularização fundiária dos imóveis para que a população não seja transferida para lugares longínquos e desprovidos de serviços básicos.
      IV. Utilização dos terrenos mais íngremes e de várzea fluvial para a construção de prédios de apartamentos, melhorando assim a circulação do ar e dos transportes.

      É válido o que se afirma em

      (A) I, II, II e IV.
      (B) I, II e II, apenas.
      (C) I, II e IV, apenas.
      (D) II, apenas.
      (E) IV, apenas.

      D.A. RESOLVE

      As três primeiras propostas são condizentes com um projeto de urbanização de favelas, a quarta não, pois terrenos íngremes e próximos à várzea fluvial são extremamente instáveis para a construção de grandes obras.

      Alternativa B.


      32. Leia o texto.



      Agora identifique, entre o(s) trecho(s) das canções a seguir, aquele(s) que comprova(m) a crítica expressa pelo texto.

      Trecho I

      Ergueu no patamar quatro paredes mágicas
      Tijolo com tijolo num desenho lógico
      Seus olhos embotados de cimento e tráfego
      Sentou pra descansar como se fosse um príncipe
      Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo
      Bebeu e soluçou como se fosse máquina
      (Construção, Chico Buarque)

      Trecho II

      Era uma casa veia
      Um palacete assobradado
      Foi aqui, seu moço,
      Que eu, Mato Grosso e o Joca
      Construímos nossa maloca
      Mas um dia
      Nois nem pode se alembrá
      Veio os home cas ferramentas
      O dono mandou derrubá
      (Saudosa Maloca, Adoniran Barbosa)

      Trecho III

      Como é que faz pra lavar a roupa?
      Vai na fonte, vai na fonte
      Como é que faz pra raiar o dia?
      No horizonte, no horizonte
      Este lugar é uma maravilha
      Mas como é que faz pra sair da ilha?
      Pela ponte, pela ponte
      (A Ponte, Lenine)

      Comprova(m) a ideia do texto apresentado, o(s) trecho(s)

      (A) I , apenas.
      (B) I , apenas.
      (C) I e II, apenas.
      (D) II e II, apenas.
      (E) I , II e II.

      D.A. RESOLVE

      As duas primeiras canções evidenciam personagens marginalizados socialmente dentro de uma grande metrópole, a terceira não; as duas primeiras tratam do mesmo assunto: registro de imagens residenciais, que confirmam as baixas condições de moradia e o baixo nível sócio-cultural de seus moradores.

      Na primeira, uma idealização, um sonho, uma construção ideal, com "paredes mágicas" (nunca antes idealizadas, de alta criatividade, distintas de quaisquer outras e de tijolos..).
       Hoje, o retrato da vida é outro: "Seus olhos embotados de cimento e tráfego" (moradia em baixo de um viaduto, cercado do tráfego intenso de uma metrópole); Sentou pra descansar como se fosse um príncipe (imaginação de vida em uma moradia digna, especial, para se sentir um "nobre"); "Comeu feijão com arroz como se fosse o máximo"( ainda que tinha, no momento, algo para comer, para sobreviver mais um dia, o mínimo necessário de dignidade: feijão com arroz e sabe-se lá como conseguido...)

      No segundo trecho,  o que fora uma mansão "Um palacete assobradado...", moradia de alto luxo,  e de arquitetaura tradicional, reveladora da ascensão e poder de uma época, transformou-se em palco de construção  e moradia solidária de pessoas de baixa ou nenhuma renda, em "Que eu, Mato Grosso e o Joca / Construímos nossa maloca"; aqui, também, foi apresentada vida marginal, desassistida e aquém do apoio da Sociedade.

      O terceiro retrata o dia-a-dia de moradores em suas atividades, apenas.

      Alternativa C.

      33. As construções humanas podem parecer eternas e inabaláveis, porém diversos fatores naturais e humanos podem comprometer as construções e arruiná-las. Assim tivemos, no início de 2010, grandes terremotos no Haiti e no Chile, que foram responsáveis pela destruição de várias cidades, com inúmeros mortos e feridos, revelando a fragilidade da vida humana no planeta.
      Segundo a teoria mais aceita e comprovada pelos estudos, os terremotos são causados pelo (a)

      (A) agravamento das condições ambientais devido às intervenções humanas.
      (B) dinâmica climática global, deteriorada pelo chamado efeito estufa.
      (C) efeito dos vulcões e tsunamis no relevo terrestre.
      (D) dinâmica das chamadas placas tectônicas.
      (E) movimento de translação da Terra.

      D.A. RESOLVE

      Os terremotos estão ligados ao movimento das placas tectônicas, fenômenos sobre os quais o homem não tem qualquer interferência.

      Alternativa D.

      34. Os primeiros hospitais de que se tem notícia foram construídos por volta de 400 a.C. no Ceilão, ao lado dos mosteiros budistas, pois eram os sacerdotes que se dedicavam à arte da cura. Com o passar do tempo, por volta de 100 a.C., na Europa, os romanos ergueram locais especiais, com farmácia e jardim de plantas medicinais, para cuidar dos soldados feridos em batalha.
      Atualmente, alguns hospitais são construções tão modernas que incluem em seu espaço vários locais para prestação de serviços como floriculturas, lanchonetes e lojinhas de conveniências.
      Oferecer flores a quem está doente é um gesto de simpatia daqueles que visitam familiares e amigos internados em um hospital. No entanto, alguns estabelecimentos de saúde não têm plantas e jardins internos, não comercializam e nem permitem a entrada de qualquer tipo de flor nas enfermarias.
      No Brasil, as recomendações para se evitarem plantas e flores nos hospitais também constam em um manual que foi publicado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

      Avalie, entre os motivos a seguir, aqueles que justificam as recomendações da Anvisa.

      I. As plantas, durante o dia, só fazem fotossíntese e, à noite, respiram consumindo o oxigênio necessário aos pacientes.

      II. A presença de plantas pode estar relacionada com a ocorrência de infecções em pacientes com baixa imunidade.

      II. A presença de material orgânico em decomposição, na terra dos vasos, pode favorecer a proliferação de bactérias e de fungos patogênicos.

      IV. As flores podem estar associadas com casos de alergia e com a atração de mosquitos nocivos aos pacientes.

      Dentre os motivos citados anteriormente, os que justificam as recomendações da Anvisa são

      (A) I, apenas.
      (B) II, apenas.
      (C) II e IV, apenas.
      (D) II, II e IV, apenas.
      (E) I, II, II e IV.

      35. Na Baixa Idade Média, o intelectual vê o Universo como um espelho da cidade. Neste processo de construção urbana, o Homem afirma-se como um artesão que transforma e cria e, assim, redescobre o papel do homo faber, isto é, daquele que coopera com Deus e com a natureza, na obra da criação.

      (LE GOFF, Jacques. Os intelectuais na Idade Média. Lisboa: Gradiva. Adaptado)

      De acordo com a reflexão apresentada no texto, é possível considerar que as cidades surgidas no período da Baixa Idade Média

      (A) proporcionaram um ambiente adequado para o surgimento do pensamento humanista, no qual tanto o Homem como Deus são criadores.
      (B) eram incompatíveis com a presença do clero, que não tolerava a intervenção do ser humano na natureza criada exclusivamente por Deus.
      (C) foram o espaço no qual ocorreu o processo de substituição do trabalho artesanal (manufatura) pelo trabalho industrializado (maquinofatura).
      (D) foram inteiramente preservadas desde o Império Romano, durante o qual o antropocentrismo predominava, eliminando o poder do clero.
      (E) pertenceram ao período chamado de “Idade das Trevas”, pois não havia produção intelectual e nem atividades culturais.

      D.A. RESOLVE

      As cidades medievais se opunham ao universo agrário e opressor do feudo (embora nestas cidades estivessem presentes enormes dificuldades de saneamento, higiene e miséria), no sentido de que na cidade seus moradores não estavam submetidos às obrigações servis. Neste locais, pela intensa circulação de pessoas e mercadorias, bem como pela ausência do regime de servidão, tornava-se mais propício o desenvolvimento de formas de pensamento críticas ao universo medieval.

      Alternativa A.


      36. Assinale a alternativa gramaticalmente correta.

      (A) Muitas pessoas têm participado de associações que preservam as construções históricas de sua cidade.
      (B) O engenheiro responsável pela obra pediu para mim conferir a qualidade do serviço executado.
      (C) Alguns acreditam que asfaltar as margens do rio Tietê foi um mal empreendimento.
      (D) À partir de maio, algumas escolas da região serão completamente reformadas.
      (E) Na casa centenária, decorando os ambientes, haviam objetos de arte valiosos.

      D.A. RESOLVE

      A única alternativa correta é a que apresenta os verbos têm participado concordando com o sujeito muitas pessoas e o verbo preservam concordando com o sujeito que (pronome relativo = associações) em número (plural) e pessoa (3ª).

      As demais apresentam erros:

      (B) "... pediu para mim conferir...", o corrreto é "... pediu para eu (sujeito) conferir..."
      Emprega-se o pronome pessoal do caso reto EU, sempre, na função de sujeito da frase, no caso sujeito do verbo conferir que está no infinitivo. Nunca se usa o pronome pessoal do caso oblíquo átono MIM, sempre empregado como complemento e não como sujeito de verbo no infinitivo;

      (C) "... foi um mal empreendimento...", o correto é "... foi um mau empreendimento..."
      O emprego do advérbio MAL tem como antônimo BEM e o antônimo de MAU é BOM, conclui-se que foi um BOM empreendimento e não um BEM empreendimento;

      (D) "... À partir de maio...", o correto é "... A partir de maio..."
      O emprego da CRASE dá-se em locuções femininas: às claras, à medida que... e não as formadas por verbos;

      (E) " ... haviam objetos de arte... ", o correto é "... havia objetos de arte..."
      O verbo HAVER, no sentido de existir, deve ficar na terceira pessoa do singular.

      Alternativa A.

      37. Marcelo mora em um edifício que tem a forma de um bloco retangular e, no topo desse edifício, está instalada uma antena de 20 metros.
      Após uma aula de Matemática, cujo tema era Semelhança de Triângulos, Marcelo resolveu aplicar o que aprendeu para calcular a altura do prédio onde mora. Para isso, tomou algumas medidas e construiu o seguinte esquema:


      Assim, Marcelo determinou que a altura do prédio é, em metros,

      (A) 45.
      (B) 50.
      (C) 60.
      (D) 65.
      (E) 70.

      D.A. RESOLVE

      Esquematiza-se a situação e utiliza-se a teoria de semelhança de triângulos aprendida por Marcelo no cálculo da altura do prédio.


      A altura do prédio é 60 m.

      Alternativa C

      38. Especialmente na fachada de casas e de edifícios, que preenchem a paisagem urbana, o vidro é um material muito utilizado. Uma das matérias-primas que entra em maior proporção, no processo de fabricação do vidro, é

      (A) carvão.
      (B) areia.
      (C) salitre.
      (D) celulose.
      (E) sal gema.

      D.A. RESOLVE

      O vidro comum se obtém por fusão em torno de 1600C, de areia e demais componentes do vidro. Após fusão, a composição é afinada e condicionada termicamente, transformando-se numa massa pronta para ser conformada numa folha contínua.


      Alternativa B

      39. Imagine que um raio de luz incida na superfície da janela lateral de um edifício, formando um ângulo de 30°, conforme mostra a figura a seguir.



      Considerando o vidro da janela como uma superfície plana e lisa, o valor do ângulo de reflexão é

      (A) 15°.
      (B) 25°.
      (C) 30°.
      (D) 45°.
      (E) 60°.

      D.A. RESOLVE

      Analisa-se a situação considerando a reflexão da luz na janela e utiliza-se para isto a lei da reflexão da luz. Tem-se:


      Sendo assim, o ângulo de reflexão do raio refletido na janela é 60°.

      Alternativa E

      40. Nas construções, uma das funções das janelas é a de promover a ventilação natural dos ambientes, como recurso para o controle de temperatura e da qualidade do ar interior.
      De acordo com especificações técnicas de uma determinada cidade, a área da janela da sala de uma residência deve ser igual a, pelo menos, 20 % da área do piso dessa sala.
      Em uma casa dessa cidade, na sala cujo piso tem a forma de um retângulo 4,5 m x 6,0 m, será instalada uma janela retangular de N metros de largura por 1,80 m de altura.
      Nessas condições, para que as especificações mínimas sejam atendidas, o valor de N deve ser

      (A) 1,0.
      (B) 1,5.
      (C) 2,0.
      (D) 2,5.
      (E) 3,0.

      D.A. RESOLVE

      O primeiro passo é calcular a área do piso da sala que é um retângulo de 4,5 m x 6,0 m. Tem-se:


      O segundo passo é calcular os 20 % da área do piso que representa a área da janela. Tem-se:


      Agora já se sabe a área da janela correspondente a área do piso. O passo é calcular o valor da dimensão N da janela que também é uma retângulo. Tem-se:


      A largura (base do retângulo) N da janela mede 3 m.

      Alternativa E

      41. Ter condições de acessibilidade a espaços e equipamentos urbanos é um direito de todo cidadão.
      A construção de rampas, nas entradas de edifícios que apresentam escadas, garante a acessibilidade principalmente às pessoas com deficiência física ou com mobilidade reduzida.
      Pensando nisso, na entrada de uma ETEC onde há uma escada de dois degraus iguais, cada um com 15 cm de altura, pretende-se construir uma rampa para garantir a acessibilidade do prédio a todos.
      Essa rampa formará com o solo um ângulo de 3°, conforme a figura.


       Sendo assim, conclui-se que o comprimento da rampa será, em metros,

      (A) 6.
      (B) 5.
      (C) 4.
      (D) 3.
      (E) 2.

      D.A. RESOLVE

      O primeiro passo é identificar a hipotenusa e os catetos do triângulo retângulo descrito pela rampa. O segundo passo é identificar qual das relações trigonométricas, seno ou cosseno deve ser utilizada. O último passo é fazer o cálculo. Tem-se:


      A rampa tem 6 m de comprimento.

      Alternativa A


      42. Ao longo da História, algumas construções se tornaram célebres como, por exemplo, o Muro de Berlim. Construído em 1961, foi desativado em 1989 e depois disso foi derrubado pela população. Após vinte anos deste episódio, conhecido como “Queda do muro”, ainda há muito o que refletir sobre sua importância para a sociedade.
      Leia a seguir uma notícia publicada naquela ocasião:






      Sobre o episódio mencionado no trecho anterior, é válido afirmar que

      (A) muitas pessoas, sobretudo de origem judaica, queriam atravessar o Muro de Berlim para fugir do regime nazista, mantido após a Segunda Guerra Mundial.
      (B) a passagem das pessoas pelo Muro de Berlim simbolizava a reunificação da Alemanha, após anos de separação entre os regimes socialista e capitalista.
      (C) o governo da Alemanha Oriental liberou a passagem das pessoas pelo Muro de Berlim, visando ao aumento da mão-de-obra industrial e comercial no país.
      (D) o Muro de Berlim foi desativado pelo governo da Alemanha Oriental para dar lugar à construção de um muro mais moderno e que permanece até hoje.
      (E) milhares de trabalhadores dos países pobres e emergentes procuraram entrar na Alemanha Oriental, em busca de empregos e de melhores salários.

      D.A. RESOLVE

      Os regimes capitalista e socialista dividiram a Alemanha em duas partes e sua agressiva fronteira foi um muro, rotulado por Muro de Berlim, até 1989. A reunificação das duas Alemanhas provocou a derrubada daquele muro.

      Alternativa B.


      43. Nas cidades brasileiras do século XIX, os edifícios residenciais eram verdadeiros espelhos da sociedade. Gilberto Freyre, um grande pesquisador da nossa cultura, apresentou, no livro Sobrados e Mucambos, um documento de 1845 no qual um sobrado da cidade do Recife é descrito da seguinte maneira:


       O texto apresentado permite afirmar que

      (A) homens escravos e homens livres viviam sob o mesmo teto em condição de igualdade, não havendo conflitos entre ambos.
      (B) o sobrado existia para abrigar apenas o espaço doméstico, enquanto outras edificações serviam como local de trabalho.
      (C) a construção dos sobrados evidenciava a diferenciação social que havia entre os proprietários e os criados da casa.
      (D) os escravos e os criados eram como parte da família proprietária, podendo usufruir livremente de todos os ambientes.
      (E) nos sobrados imperiais os escravos eram privilegiados, pois não dormiam em senzalas como os escravos da zona rural.

      D.A. RESOLVE

      Uma das demonstrações de poder econômico e social dos senhores de escravos foi a construção de residências de vários andares que também por suas acomodações separavam bem a convivência, a habitação e a postura dos proprietários em relação aos seus criados.

      Alternativa C.


      44. Os cupins existem na Terra há muito mais tempo que o próprio homem. Durante todo esse período, os cupins têm desempenhado um papel fundamental no meio ambiente, pois promovem a decomposição de matéria orgânica, o que contribui para a incorporação de nutrientes e para a fertilidade do solo.
      Porém, desde que o homem começou a construir habitações ou estruturas de madeira é que se conhecem os danos que eles podem causar.

      De repente você encontra num cantinho de sua casa aquele pozinho marrom...
      É um dos primeiros sinais.
      E logo pensa: “Cupins à vista! Praga! É preciso aniquilá-los”.




      A erradicação dessa praga é dificultada porque os cupins

      (A) sofrem constantes mutações e mudam seus hábitos alimentares.
      (B) conseguem digerir qualquer tipo de material de construção, desde cimento até plástico.
      (C) são artrópodes, do grupo dos aracnídeos, dotados de esqueleto externo quitinoso e, por isso, são resistentes aos inseticidas.
      (D) realizam reprodução assexuada, o que aumenta a variabilidade genética das espécies garantindo a resistência aos inseticidas.
      (E) vivem em ninhos de difícil acesso, penetrando na madeira e digerindo a celulose graças aos microorganismos presentes em seu intestino.

      D.A. RESOLVE

      45. A durabilidade dos materiais empregados em construções está relacionada à região em que se encontram.
      Para que ocorra a corrosão do ferro (com formação de ferrugem) são necessárias as presenças de oxigênio e de umidade. Além disso, o sal e poluentes atmosféricos aceleram o processo.
      Uma forma de proteção contra a corrosão, por exemplo, é a pintura com tinta esmaltada.
      Em relação ao processo de corrosão, analise as seguintes situações sobre quatro residências cujos portões são de ferro.

      • A residência 1 tem portões pintados e se localiza em região industrial de clima seco.
      • A residência 2 tem portões pintados e se localiza em região residencial de clima seco.
      • A residência 3 tem portões sem pintura e se localiza em região litorânea de clima úmido.
      • A residência 4 tem portões com pintura descascada e se localiza em região industrial de clima úmido.

      As duas residências cujos portões estão mais protegidos da corrosão são

      (A) 1 e 2.    (B) 1 e 3.    (C) 1 e 4.    (D) 2 e 3.    (E) 2 e 4.

      D.A. RESOLVE

      A ferrugem é uma reação química de oxidação do Ferro e pode ser representada por:





      Para que a reação seja retardada, é necessário minimizar a presença dos reagentes (água e oxigênio), portanto as situações em que isto ocorre são nas residências 1 e 2.

      Alternativa A

      Leia o texto para responder às questões 46, 47, 48, 49 e 50.

      Final Feliz

      Há uma casa morrendo na minha rua.
      Penso em quem a pôs de pé. Tinha certamente um sonho, um projeto em que devem ter entrado amor e filhos, talvez netos e esperanças. Deve ter chegado com ar triunfante ao alto da colina das Perdizes, quando os raros moradores ainda dividiam espaços com as preás*, pois consta que perdizes não havia. Ele deve ter descortinado lá embaixo o vale desabitado do Pacaembu; na colina oposta, as elegantes chaminés de Higienópolis e, lá longe, as fumaças da laboriosa Lapa. E deve ter pensado: é aqui o lugar!
      A casa deve ter sido imponente: seis enormes janelas laterais, uma espaçosa e comprida varanda voltada para um extenso terreno onde houve, algum dia, um pomar e um jardim. Dois bancos de alvenaria protegidos por quatro colunas sugerem a existência de uma pérgula*. Atrevo-me a imaginar que alguém, às tardes, ficava ali a ler, ou a bordar, sob uma parreira de uvas roxas...
      Mas agora, abandonada, é como se a casa tivesse desistido aos poucos de viver. Moradores levianos param de amá-las, depois que desaparecem aqueles que mandaram erguê-las e, assim, a casa ressente-se da ausência humana e logo perde o viço*.
      A tinta das janelas racha, as paredes estalam, o vento levanta sua pele de cal e silêncios, os telhados cedem ao peso da responsabilidade de décadas sem uma palavra de agradecimento, vidraças explodem castigadas e ratos e morcegos se instalam oportunistas.
      Mas, para ter um final feliz, imaginei contar, ao contrário, a história de um desses casarões que se deixam morrer nessa cidade. Ela começaria com um sem-teto arrancando a janela rachada para aquecer-se numa noite fria, assustando os morcegos e ratos, e iria caminhando para trás, ano após ano, a pintura refazendo-se, o pó sumindo, o verde voltando, os moradores a desfrutando, prazerosamente, a festa de inauguração, a janela de pinho-de-riga sendo instalada, a mesma janela viajando de navio para o Brasil, junto com outros materiais, e terminaria com um senhor trajado de roupas do início do século passado dizendo com confiança e energia:
      ─ Vou construir aqui uma casa que meus netos e bisnetos vão amar!
      (Ivan Ângelo, Veja SP, 24.01.2001. Adaptado)
      *Preás: pequeno roedor
      *Viço: força; beleza

      46. Pela leitura do texto é correto afirmar que o autor

      (A) condena a desigualdade social presente em vários bairros de São Paulo.
      (B) sugere que as pessoas prefiram morar em casas com quintal e não em apartamentos.
      (C) critica as empreiteiras que derrubam casas antigas para a construção de edifícios luxuosos.
      (D) considera lastimável que casas antigas e cheias de história desapareçam da paisagem urbana.
      (E) reconhece que muitas casas estão destruídas por causa da qualidade inferior dos materiais de construção.

      D.A. RESOLVE

      Em todo o texto, o autor apresenta um inconformismo pelo descaso com que o citado imóvel, desaparecendo pela falta de consciência preservadora, vai deixando de refletir  um momento histórico, uma arquitetura de época, as condições embelezadoras e os inúmeros espaços que possuíram, ostentando o poder e o conforto de tempos passados e, se fosse possível, ele fazendo voltar no tempo o filme da vida e, por esta retrospectiva, imaginar como a mesma fora construída.

      Alternativa D.


      47. A personificação ou prosopopeia é uma figura de linguagem que consiste em atribuir características humanas a seres não humanos.
      Considerando a definição proposta, assinale a alternativa cujo trecho apresenta um exemplo dessa figura de linguagem.

      (A) E le deve ter descortinado lá embaixo o vale desabitado do Pacaembu...
      (B) ... a casa ressente-se da ausência humana e logo perde o viço.
      (C) Mas, para ter um final feliz, imaginei contar ao contrário...
      (D) ... os moradores a desfrutando, prazerosamente, a festa de inauguração...
      (E) ... terminaria com um senhor trajado de roupas do início do século...

      D.A. RESOLVE

      Uma casa não pode ressentir-se, ou seja, sentir novamente, sofrer de novo, magoar-se... Isto é próprio de pessoas, é característica humana.

      Alternativa B.

      48. Considere o trecho:

      A casa deve ter sido imponente: seis enormes janelas laterais, uma espaçosa e comprida varanda voltada para um extenso terreno onde houve, algum dia, um pomar e um jardim. Dois bancos de alvenaria protegidos por quatro colunas sugerem a existência de uma pérgula.
      Trata-se de um trecho

      (A) narrativo, em que se priorizam as ações realizadas pelas diversas personagens.
      (B) descritivo, em que o autor constrói, para o leitor, uma imagem visual da antiga casa paulistana.
      (C) descritivo, em que a apreensão das informações depende de sensações olfativas.
      (D) dissertativo, em que o autor expõe sua visão nostálgica em relação ao passado.
      (E) dissertativo, em que o autor se recusa a aceitar o presente e consegue reverter os acontecimentos.

      D.A RESOLVE

      O autor do texto, em especial neste trecho, procura fazer com que o leitor imagine como deveria ter sido esta casa, quando nova e naquela época, fazendo um retrato da sociedade rica e da qualidade de vida de certas famílias paulistanas, morando em casarões que ocupavam grandes áreas urbanas, em construções arrojadas, com tendências e estilo europeu.

      O texto procura descrever a residência, cuidadosamente, por uma forma completa de informações e condições ideais, prendendo a atenção do leitor e estimulando-o a conhecê-la e a admirá-la.

      Alternativa B.

      49. Reconheça o discurso empregado na frase a seguir:

      ─ Vou construir aqui a casa que meus netos e bisnetos vão amar!

      (A) Direto, em que se revela o otimismo da personagem com a construção da casa que abrigará sua família.
      (B) Direto, em que se expõe a ingenuidade do autor em acreditar que a casa sobreviveria muitas décadas.
      (C) Indireto, em que o autor expressa sua admiração pelo senhor que, em local ainda desabitado, resolveu construir a casa.
      (D) Indireto, em que se demonstra a convicção da personagem de que os bisnetos preservariam a casa e a memória da família.
      (E) Indireto livre, em que o autor confirma seu amor pelas casas antigas da cidade que estão desaparecendo.

      D.A. RESOLVE

      Trata-se de discurso direto, caracterizado pela fala da personagem, confirmada pelo uso do travessão, como se estivesse falando com alguém.

      Alternativa A.

      50. Considere o trecho:

      Ela começaria com um sem-teto arrancando a janela rachada para aquecer-se numa noite fria, assustando os morcegos e ratos, e iria caminhando para trás, ano após ano, a pintura refazendo-se, o pó sumindo, o verde voltando...
      Os trechos em destaque colaboram para expressar, correta e respectivamente, as ideias de

      (A) oposição e localização.
      (B) oposição e tempo.
      (C) finalidade e causa.
      (D) finalidade e tempo.
      (E) companhia e localização.

      D.A. RESOLVE

      Imaginando a casa desprezada e vazia, o autor introduz uma personagem para fazer retorná-la à vida, através da ação de um sem-teto arrancando a janela e mostrar sua finalidade de entrar na casa "abandonada" para poder aquecer-se e proteger-se de todas as condições adversas proporcionadas pelo dia-a-dia. Isto feito, haveria a volta no tempo, até o momento em que a casa, recém-construída, preparava-se para ter a companhia de seus moradores.

      Alternativa D.

      DAXIANOS DO CONHECIMENTO - SEJA MAIS UM...

      Professores Responsáveis

      • Prof. Edson Gallina
      • Prof. Reginaldo Nofoente Duran